A fraude das eleições: direita quer cassar candidato que tem intenção de 60 milhões de votos e eleger quem tem 5%

Brazilian Court Orders Immediate Arrest Of Former President Lula Da Silva

Pesquisa Datafolha/Globo divulgada nesta quarta, dia 22, confirma o que foi apontado por outros institutos burgueses e que vem provocando uma agravamento da crise política e econômica, levando – dentre outros resultados –  a uma elevação record do dólar: sem a cassação de sua golpista de sua candidatura, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seria eleito para um terceiro mandato já no primeiro turno.

De acordo com os dados divulgados pelo Datafolha Lula poderia, chegar – dentro da margem de erro da pesquisa – a ter 41% das intenções de voto. O Brasil tem hoje 147,3 milhões de eleitores aptos a votar nas eleições previstas para outubro. Assim, mesmo mantido como preso político, condenado sem provas e caluniado diariamente pela imprensa golpista, Lula tem hoje, segundo as pesquisas, a intenção de voto de mais de 60 milhões de brasileiros.

O desespero da burguesia golpista, ou do “mercado”como preferem dizer alguns, reflete não apenas o gigantesco apoio do candidato do PT – coligado com o PCdoB e PROS – apoiado pelo PCO, mas também os pífios resultados nos levantamentos do candidato apontados como o preferido pelos golpistas: Geraldo Alckmin (PSDB), oscilou entre 4,9% e 6%, obtendo seu melhor resultado na pesquisa divulgada pelas emissoras vinculadas ao “centrão” que apoiam o tucano. Em todas as pesquisas, o ex-governador paulista ficou em quarto lugar e foi ultrapassado pela candidata do minúsculo Rede, a ex-senadora Marina Silva, que oscilou entre 5 e 8%. Ambos aparecem atrás do candidato da chapa defensora do golpe militar, encabeçada pelo capitão da reserva e deputado Jair Bolsonaro (PSL), que tem como vice o general golpista Hamilton Mourão.

Em meio à essa crise, terminou hoje o prazo para entrada de pedidos de contestação da candidatura do petista no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), inciando-se o prazo de para manifestação da defesa de Lula. Os pedidos de impugnação chegaram ao total de dez pedidos, movidos pela Procuradoria-Geral da República, por adversários na corrida eleitoral como Jair Bolsonaro (PSL) e João Amoêdo (Novo) e notórios “gurus” da direita, como o ator pornô Alexandre Frota e o dirigente do fascista MBL e candidato a deputado federal Kim Kataguiri (do DEM). Já na segunda-feira, dia 20, o vice-procurador-geral Eleitoral reiterou, em parecer anexado ao processo da candidatura, que Lula está inelegível, sob a alegação de que não pode ser candidato por ter sido condenado por órgão colegiado, mesmo que isso contrarie a Constituição Federal e afronte até mesmo resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Há inúmeras iniciativas jurídicas (recursos etc.) que podem garantir ao candidato petista se manter como candidato até o final do processo eleitoral, aprofundando a crise da direita e intensificando a mobilização contra a fraude eleitoral que a burguesia prepara. Mas a arma fundamental para derrotar essa fraude e o conjunto do golpe é a mobilização popular, nas ruas, potencializando-se a tendência combativa que se expressou no ato com dezenas de milhares de pessoas, em Brasília, no último dia 15.

A situação comprova a importância decisiva da candidatura de Lula, único candidato capaz de unificar milhões de explorados e suas organizações de luta para enfrentar e derrotar os golpistas.

O desespero do “mercado” é justificado, Por isso não há porque recuar. Daí importância fundamental de ampliar a mobilização contra a cassação do registro da candidatura de Lula para ampliar a mobilização para impedir que o registro de Lula seja cassado e garantir que sua candidatura vá até o fim, custe o que custar.