Pesquisas confirmam que Lula vence no primeiro turno. É preciso impedir sua cassação

Former Brazil's President Luiz Inacio Lula da Silva reacts during a seminar on public education in Brasilia

As primeiras pesquisas divulgadas pela imprensa golpista confirmam, ainda que evidentes distorções que o candidato apoiado pelas maiores organizações de luta dos trabalhadores e da juventude, que levou dezenas de milhares de pessoas à Brasília para exigir seu registro e que permanece preso como preso político há mais de 130 dias, lidera com folga as intenções de voto e, muito provavelmente, venceria as eleições no primeiro turno, obtendo um percentual maior que a soma de todos os outros candidatos.

Mesmo com todo o esforço da direita de atacar cotidianamente Lula, de impedir sua participação nos sofríveis debates entre presenciáveis e até mesmo da campanha a favor de sua substituição por um candidato do “plano B”, fica evidente a tendência a uma radicalização política contra o regime golpista e sua expressão em um avassalador apoio ao candidato do PT, apoiado pelo PCO, que não integra a coligação formada também pelo PCdoB e PROS..

O apoio quase negativo ao governo Temer (de insignificantes 2,7%) mostra que o apoio à Lula é inversamente proporcional ao crescimento da rejeição popular do regime que está multiplicando a fome, desemprego e a destruição da economia nacional, e dos seus candidatos. Alckmin, apontado – inicialmente – como o preferido do bloco do “centrão”que deus sustentação ao golpe de estado e ao governo Temer, não chega a 5% das intenções de voto e o candidato do MDB, partido de Temer, não chega a 1%, empatado até mesmo com o candidato que ocupa a legenda do PSOL, Guilherme Boulos, com 1%.

Nestas condições, não tem o menor cabimento, a não ser para a burguesia golpista, se propor a trocar o “certo pelo duvidoso” como diz a sabedoria popular (e põe duvidoso nisso!). É evidente que a candidatura de Lula não está assegurada diante da verdadeira ditadura golpista estabelecida no País, sob o “comando” de juízes serviçais do imperialismo norte-americano, os verdadeiros donos do golpe de estado que derrubou a presidenta Dilma Rousseff e mantém Lula há mais de 130 dias no cativeiro.

Já são mais de 10 pedidos de impugnação da candidatura de Lula e os ataques contra ele, o PT e toda a esquerda, não vão parar a não ser que a direita seja derrotada. Esta derrota só pode vir da da mobilização popular, da força da luta dos explorados para libertar Lula e impor sua candidatura presidencial e nenhuma outra candidatura tem a força suficiente para unir e mobilizar amplas massas para barrar a ofensiva da direita.

A tarefa é deixar de lado qualquer vacilação e organizar uma mobilização geral que seja capaz de derrotar a direita. De imediato preparar um ato ainda maior do que a grande e combativa mobilização realizada no último dia 14, na Capital Federal.

Diante das armações para cassar Lula, o candidato do povo trabalhador, colocar 100 mil em Brasília e impedir uma nova etapa do golpe. Exigir que se cumpra a Constituição, pelos meios que forem necessários. Nenhum acordo com a direita golpista. É Lula e nenhum outro o candidato  dos explorados; que tem direito de ser candidato e tem de ser levado às urnas.