Economia do golpe: dólar dispara para R$ 3,93; inflação do mês é a maior desde 1995

BRAZIL-ECONOMY-REAL-DOLLAR

19O dólar comercial encerrou a semana cotado a R$ 3,87, uma alta de 19,07% no ano de 2018 que se iniciou com a moeda estadunidense valendo R$ 3,25. A expectativa é de que o dólar continue numa trajetória ascendente (o valor máximo de R$ 3,93 é um indicador) uma vez que se espera que o banco central estadunidense continue aumentando as taxas de juros, além do desalento imperante na economia nacional. O presidente do banco central brasileiro, o cidadão israelense, Ilan Goldfajn, indicou que não pretende intervir no mercado do cãmbio.

O aumento vertiginoso do dólar reflete o rumo “ladeira abaixo” que tomou a economia brasileira desde o momento em que a fração golpista ora no poder passou a sabotá-la. O ilusório plano golpista de manter a economia funcionando pela fórmula neo liberal não se concretizou, não só porque o chavão do “estado mínimo” é uma mentira mas também porque o setor privado produtivo foi dizimado em benefício de interesses internacionais.

Tendo em vista que a desindustrialização crescente que se acelerou após a concretização do golpe acentuou ainda mais a dependência das importações, o reflexo do aumento da moeda dos Estados Unidos já está se refletindo no índice de inflação que já atingiu seu maior índice desde 1995.