Um pretexto cretino
Imprensa burguesa e esquerda pequeno-burguesa fabricaram uma desculpa para não defender o jogador
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
neymar
Neymar reage a provocação racista | Foto: Reprodução/UOL

No último domingo (14), durante um jogo de futebol entre o Paris-Saint Germaint e o Olympique de Marseille, o zagueiro espanhol Álvaro González tentou intimidar o brasileiro Neymar, melhor jogador do mundo, com provocações racistas. Segundo relato do próprio Neymar, González teria chamado o jogador de “macaco filho da p…”. O brasileiro ficou indignado e deu um tapa na cabeça do zagueiro espanhol. Mais tarde, por meio das redes sociais, Neymar disse que se arrependeu apenas de não ter dado um soco em González.

A reação de Neymar não parou por aí. Ainda bastante revoltado com toda a situação, o brasileiro denunciou o VAR e toda a perseguição do imperialismo contra o seu futebol e chamou González por aquilo que de fato é: um racista:

Como fica bastante claro nas declarações, Neymar reagiu de maneira muito mais enérgica que a esquerda pequeno-burguesa e identitária tem reagido ao avanço da extrema-direita fascista e racista. Diferentemente de fazer discurso no parlamento ou de elogiar o TSE por destinar cotas eleitorais aos negros, Neymar enfrentou o racismo como deve ser enfrentado: denunciou a público, chamou-o pelo próprio nome e não deixou-se intimidar.

O que mais impressiona neste caso, contudo, é que a esquerda pequeno-burguesa não saiu em defesa de Neymar. Os mesmos setores que tanto fazem alarde sobre o problema do “lugar de fala”, que reivindicam para o negro uma espécie de autoridade moral para falar, agora se calam diante da tentativa de intimidar o melhor jogador do mundo. Os mesmos setores que colocam em segundo plano a luta de classes, que correm para prestar solidariedade a vigaristas como Kamala Harris e Fernando Holiday, resolveram ignorar o que aconteceu no gramado francês.

Seria porque, neste caso, não haveria racismo? Isto é, que Álvaro González apenas chamou Neymar de “macaco” porque estava irritado ou porque deixou-se levar pelas emoções durante uma partida de futebol? Não, e podemos comprovar isso facilmente: o mesmo jogador já foi flagrado insultando Messi por sua altura e é apoiador do partido fascista da Espanha, o Vox. Isto é, os xingamentos dirigidos a Neymar, muito mais do que xingamentos, são a expressão de um movimento real da extrema-direita que tem como objetivo massacrar os imigrantes, sobretudo aqueles oriundos de países atrasados.

Talvez por isso, não vi a esquerda pequeno-burguesa dizer que não houve racismo neste caso. No entanto, encontrou outro pretexto para não defender o jogador: o de que Neymar não reagiu ao racismo anteriormente e, portanto, não deveria ser defendido. Essa posição pode ser encontrada, por exemplo, em artigo de Kiko Nogueira, no Diário Centro do Mundo: “Neymar descobriu que é negro neste domingo, 13 de setembro”. Não por acaso, a mesmíssima posição é encontrada no jornal O Globo.

Não é meu objetivo investigar se é ou não a primeira vez que Neymar reagiu ao racismo. Até porque isso não tem importância alguma. A questão que fica, no entanto, é: por que há tanto interesse em desencavar esse suposto passado de Neymar? E a resposta é muito simples: para que a esquerda tenha uma justificativa para não fazer uma defesa clara de Neymar. E por que a esquerda pequeno-burguesa não quer defender Neymar?

Porque o imperialismo odeia Neymar e o futebol brasileiro. E isso tem tudo a ver com o racismo: o imperialismo quer acabar com o melhor futebol do mundo para que um povo sofrido e muito combativo não levante a cabeça e pegue em armas contra seus algozes. E como a esquerda pequeno-burguesa, pela sua própria composição pequeno-burguesa, sempre está a reboque do imperialismo, sua política sempre será uma política pró-imperialista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas