Menu da Rede

Domingo: Rui C. Pimenta apresentará balanço da situação política

Enfrentar o fascismo nas ruas

É preciso sair às ruas contra a extrema-direita e o genocídio

As contínuas ameaças de golpe vinda dos ministros militares devem ser respondidas com toda a energia através das mobilizações e atos em todas as regiões e Estados do País

General Heleno, representante mais destacado da extrema direita fascista no governo – Foto: Antonio Cruz

A extrema-direita brasileira está cada vez mais ousada em suas ações. Os fascistas estão ocupando ruas e praças do país, em atos que buscam demonstrar apoio ao presidente direitista e reacionário, Jair Bolsonaro, que está com uma popularidade cada vez mais baixa e em queda constatante. A ofensiva dos direitistas, no entanto, só encontra espaço para prosperar em função da mais completa paralisia e inércia da esquerda nacional, que, em momento algum, se apresentou, em todo o último período, como organizadora da reação dos movimentos de luta contra as ações da raquítica e bizarra extrema-direita.

Nos atos que realiza em algumas localidades, a extrema-direita se apresenta sem nenhum disfarce, afirmando suas “convicções”, empunhando bandeiras e símbolos que reforçam o caráter fascista dos movimentos de direita, e entoando cânticos e palavras de ordem nazistas. No domingo, dia 24 de maio, apoiadores bolsonaristas realizaram carreata em São Paulo, onde no carro de som era possível identificar a bandeira de cor vermelha e preta de uma organização neonazista da Ucrânia, a Pravy Sector (Setor de Direita). A PM assassina paulistana prestou continência aos manifestantes da direita, em gesto que sugere apoio às ações dos direitistas reacionários.  Em Brasília, no mesmo domingo, a extrema-direita apoiadora do presidente fraudulento, se aglomerou em frente ao Palácio do Planalto, levantando faixas e cartazes alusivos à ditadura, pedindo intervenção militar, atacando também o congresso nacional e o STF.
Ainda na semana passada, o mais direitista dos ministros militares voltou a se manifestar.
O General Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o genocida do Haiti, fiel apoiador do presidente, ameaçou novamente o país com intervenção militar, repudiando uma possível perícia no aparelho celular de Bolsonaro, solicitada pelo Ministro do STF, Celso de Mello. A nota do general Heleno foi apoiada por outros ministros militares, inclusive pelo Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, junto a outros de elevada patente.
A reação a essas ações da extrema-direita vem acontecendo de forma semi-espontânea e dispersas. Há alguns dias, a torcida antifascista do Corinthians impediu uma manifestação da extrema-direta paulistana, na principal Avenida da capital paulista. Neste domingo, dia 24, um grupo de militantes antifascistas, da esquerda gaúcha, impediu uma carreata bolsonarista na capital, Porto Alegre. Diante da ausência de uma ação política organizada por parte da esquerda e das organizações de luta dos trabalhadores (CUT, partidos, movimentos), a militância, por iniciativa própria, vem organizando, em vários locais, ações de protesto e luta contra a extrema-direita. Isso demonstra claramente que há, por parte de um grande setor da população, uma grande disposição de ir às ruas, enfrentar e derrotar a direita neonazista, bolsonarista.
Além de estar reivindicando o retorno da ditadura, apoiando o golpe de Estado, a extrema-direita que ocupa as ruas também exige o fim do isolamento social e o retorno ao trabalho da classe operária, dos trabalhadores. Isso no momento em que o Brasil se torna o novo epicentro da pandemia mundial, com o aumento vertiginoso dos casos de infecção e mortes pela Covid-19. O país já é o segundo do mundo em registro de infectados, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. No entanto, é sabido que os números que chegam às estatísticas oficiais estão sub-notificados, pois não há testes e nem diagnósticos precisos para a identificação, podendo o Brasil já ter alcançado a casa dos milhões de infectados, de acordo com a projeção dos especialistas e instituições internacionais que lidam com a problemática da epidemia mundial do coronavírus.
A situação política está marcada por uma evolução à esquerda, com uma forte tendência das massas populares e dos diversos movimentos de de luta, organizados ou não, a se enfrentarem com a extrema-direita nas ruas. Esse deslocamento à esquerda, claramente perceptível nas ações antifascistas que crescem em todo o país, precisam estar guiados por uma ação consciente e organizada da esquerda, dos partidos e organizações de luta dos trabalhadores, como a CUT, os sindicatos e movimentos sociais de defesa das massas populares, da população pobre e explorada.
É necessário, para que esse potencial se desenvolva, a ruptura com a paralisia e a inércia que vem marcando a postura da esquerda nacional, da oposição, seja ela institucional, parlamentar, ou diretamente vinculada às lutas sociais. Não há tempo a perder, pois a extrema-direita não será expulsa das ruas por alguma ação das instituições (justiça, parlamento). A derrota dos neonazistas, dos bolsonaristas, somente poderá ser o resultado da ação de luta das massas populares, do enfrentamento com a extrema-direita nas ruas, e, para isso, faz-se necessário o fim do isolamento político que a própria esquerda decretou para si.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.