É preciso fazer uma grande campanha contra as demissões nos Correios

correios- viaturas

Desde o inicio do mês de maio, a direção golpista da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) iniciou mais uma etapa de demissão em massa nos Correios, através do PDV (Pedido de Demissão Voluntária) a fim de diminuir ainda mais o quadro deficitário de funcionários da empresa.

A forma de demissão dos golpistas nas estatais, através do PDV, não deixa de ser demissão, com uma diferença abstrata e ilusionista, a de que o trabalhador é que está querendo se desligar dos quadros de funcionários da empresa.

É uma política abertamente contra a empresa, já que visa enxugar os gastos que a empresa estatal tem com recursos humanos, a fim de deixá-la atraente para sua venda, a sua privatização.

No caso dos Correios, o presidente golpista da empresa, o general Juarez Aparecido de Paula Cunha,  já declarou que quer vender a empresa na bolsa de ações, aonde capitalistas sedento por lucro fácil, vão comprar as ações da ECT, e com isso controlar toda a vida operacional dos Correios através da nomeação de executivos no Conselho administrativo da empresa.

Com a mudança do controle da empresa, passando para as mãos dos acionistas, já que hoje é feita pelo governo, através dos ministérios, o povo ficará com muito mais dificuldade de exigir qualquer coisa do serviço postal, e muito menos os trabalhadores que são os responsáveis pela excelência da empresa.

Diante disso, apoiar ou ensinar os trabalhadores a aderir ao PDV dentro dos Correios, como alguns sindicatos do Bando dos Quatro (Sindicalistas do PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG – LPS) fazem  é ajudar os golpistas entregarem esse patrimônio do povo brasileiro aos tubarões do mercado postal.

Os trabalhadores dos Correios devem organizar uma campanha interna e externa contra o PDV e qualquer outra forma de demissão dentro dos Correios, levando junto a campanha pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas, e pela liberdade de Lula, com eleições gerais sob o controle da população brasileira.