Crise generalizada na saúde
No Rio de Janeiro, os números de casos de sarampo cresceram 66% em relação ao mesmo período do ano passado. Doença já deveria ter sido extinta
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Campinas SP 04 08 2018-_Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo Centro de Saúde Barão Geraldo_Foto Carlos Bassan
Foto: Carlos Bassan |

Da redação – Não é só de coronavírus que morre o brasileiro. Os números de casos de sarampo voltaram a crescer no Rio de Janeiro no ano de 2020. Em relação ao mesmo período do ano passado, os números da doença cresceram 66%.

O Brasil havia recebido o certificado de país livre do sarampo em 2016, mesmo ano em que houve o golpe de estado, por ter registrado seu último caso em 2015. No entanto, em 2018 o país perdeu o certificado por voltar a ter várias epidemias da doença que já poderia estar extinta desde o século passado.

O sarampo é apenas uma das doenças com as quais o brasileiro tem de lidar todos os dias por conta do sucateamento do SUS, o congelamento dos gastos em saúde, a falta de pesquisas e etc. Sob o governo Bolsonaro, tudo que já era ruim se tornou ainda pior. Há epidemias de H1N1, sarampo, coronavírus, dengue, zika, chikungunya e até mesmo casos de lepra.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas