Manifestação por Lula Livre
O PCO e os Comitês de Luta convocam todos às ruas no dia de hoje para lutar pela restituição dos direitos políticos de Lula. Em São Paulo, em Brasília e no Rio de Janeiro

Por: Redação do Diário Causa Operária

Os movimentos que defendem a restituição dos direitos de Lula marcaram este sábado, dia 27, como um dia de mobilização em defesa dos ex-presidente Lula. Há transmissões marcadas, atividades, e em São Paulo e Brasília, manifestações.

O STF já deu mostras de ser um dos poderes mais abusivos do regime e não representa nenhuma esperança para a luta contra o golpe e pela liberdade de Lula.

Em São Paulo, cidade mais populosa do país e seu principal centro político, o ato ocorrerá na tradicional Avenida Paulista, às 15 horas, em frente ao MASP. Local onde, por muitas vezes, os movimentos populares marcharam e exigiram seus direitos, inclusive tendo sido, neste último período, palco de enfrentamentos contra a extrema-direita.

Em Brasília, o ato ocorrerá em frente ao STF, justamente para pressionar os ministros a anular todos os crimes perpetrados pela Lava Jato contra Lula. O horário será também às 15 horas. Todos devem estar ali presentes para mostrar ao tribunal golpista e ditatorial que o povo quer Lula com todos os seus direitos garantidos e candidato em 2022.

As conversas vazadas de Dallagnol, Moro e dos outros membros da golpista Operação Lava Jato revelaram o verdadeiro conluio entre juiz e acusadores para perseguirem e incriminarem um cidadão inocente. Elas devem servir de incentivo para que as lideranças de esquerda mobilizem suas bases e saiam às ruas por esta que se tornou a questão central da situação política atual. Diante dos ministros golpistas e inimigos da democracia, o flagrante atentado contra os direitos do ex-presidente não tem siginificado algum, mas para a população, eles são motivo para revolta e não devem passar em branco de forma alguma.

Outra importante revelação da farsa e do abuso cometido pelo STF é a admissão do general Villas-Boas de que todo o alto comando do Exército estava envolvido nos tweets que tinham a intenção de pressionar o tribunal golpista para que não fosse concedida a Lula a sua liberdade, apesar de já estar claro naquele momento o caráter totalmente criminoso de sua prisão. As Forças Armadas brasileiras colocaram sob a mira de seu fuzil toda a população brasileira e isso ocorreu com total anuência do STF e de todos os outros poderes da república.

Foi a manutenção da prisão de Lula que possibilitou a maior fraude eleitoral da história recente do país e a consequente vitória do candidato de extrema-direita, Jair Bolsonaro, que agora é um dos responsáveis pelo momento extremamente crítico em que se encontra o país, com mais de 250 mil mortos pela Covid-19, milhões de desempregados, miseráveis, sem falar na liquidação de toda a economia nacional em prol de seus patrões imperialistas.

Todo o povo tem compreensão de que as condições de vida no país tiveram uma piora gigantesca após o golpe de estado dado contra Dilma e o PT, e, apesar das capitulações, confusões e vacilações da esquerda pequeno-burguesa, ainda é claro para todos que a principal liderança para enfrentar essa direita golpista é o ex-presidente Lula. Por isso, é preciso impulsionar uma gigantesca mobilização para a restituição de seus direitos políticos e posteriormente para que ele seja o principal candidato da esquerda nas eleições de 2022.

Apenas Lula tem o capital político para ser o candidato da esquerda nas próximas eleições presidenciais. A direita já sinalizou que, caso não consigo “emplacar” algum candidato da frente ampla como Doria ou Huck, irá apostar novamente no bolsonarismo.

Portanto, é preciso que a esquerda aposte na polarização com os golpistas, ação que certamente terá o amplo apoio das massas populares e irá impulsionar uma grande mobilização de todo o povo para se enfrentar com todos os golpistas que tomaram de assalto o país. É preciso apresentar um anti-bolsonaro. Neste momento, pela envergadura da sua liderança, este papel cabe a Lula.

O Comitê de Luta Fora Bolsonaro Centro-Zona Sul, do Rio de Janeiro, também convocou um ato para a capital fluminense, para as pessoas que não terão a possibilidade de viajar, considerada a situação de pandemia. Ele ocorrerá às 10 horas da manhã de hoje, na Orla de Copacabana. Quem estiver no Rio de Janeiro, poderá ir a esse ato e encontrará os companheiros do Comitê.

Todos devem sair às ruas e se colocar de forma intransigente contra os abusos realizados contra o ex-presidente Lula.

Esta semana, Lula, demonstrou, que apesar da situação de pandemia, a situação é grave demais, para não protestar. Protestar inclusive por condições de sobrevivência à pandemia, que neste momento encontra-se numa escalada por conta da paralisia dos governos de direita. Em entrevista à TV 247, Lula disse:   “Precisamos nos mexer. Não dá pra ficar só no zoom chorando”.

Send this to a friend