Fora todos os golpistas
O 1º de maio classista e socialista. Nenhuma aliança com a direita, por Fora Bolsonaro e todos os golpistas
1º de maio de 2018 v. DCO
Ato nacional de 1º de maio de 2018 pela liberdade de Lula, em Curitiba. Foto: Sindipetro PR/SC |

Nesta sexta, ocorrerá o ato classista de 1º de maio, dia internacional de luta dos trabalhadores. Organizado pelo Partido da Causa Operária (PCO), o ato ocorrerá a partir das 15h presencialmente em São Paulo, com cerca de 200 representantes do movimento sindical e social nacional, e será transmitido pela Causa Operária TV. O link já está disponível aqui.

É possível participar entrando em contato com militantes do PCO, que verificarão a disponibilidade e as questões de segurança sanitária, como também assistindo à transmissão ao vivo pelos canais da COTV no youtube, facebook, etc.

O ato classista surgiu da necessidade de se opor à capitulação histórica das centrais sindicais, sobretudo da CUT, que convidaram para seu “ato virtual” políticos golpistas, inclusive da extrema-direita.

Conforme denunciado em nota oficial do PCO, publicada aqui como coluna do companheiro Rui Costa Pimenta:

“Em matéria publicada no sítio Vermelho, dirigido pelo Partido Comunista do Brasil, PCdoB, no dia 23 passado, o articulista João Guilherme Vargas Netto, que se apresenta como consultor de várias entidades sindicais, nos dá a seguinte informação:

‘Confirmados os convites e as participações, o palanque virtual do 1º de Maio acolherá, além dos dirigentes e dos artistas, os ex-presidentes FHC, Lula e Dilma, os governadores Dória, Flávio Dino e Witzel, o ex-ministro Ciro Gomes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e muitos outros que comparecerão ao longo do dia’.”

O 1º de maio classista é um 1º de maio socialista, sem bandidos políticos; é uma reafirmação do propósito histórico do dia internacional de luta dos trabalhadores, que deve ser defendido vigorosamente da mesma maneira que o fizeram aqueles que, na 1ª Internacional dos Trabalhadores, sob a liderança de Marx e Engels, superaram a concepção anarquista da Liga dos Justos (a de que “Todos os homens são irmãos) e, no lugar dela, assentaram uma verdade elementar para todo o proletariado: A burguesia é inimiga mortal do proletariado! Por isso, o 1º de maio socialista tem como lema “nenhuma aliança com a direita, Fora Bolsonaro e todos os golpistas!”

Relacionadas