Fora todos os golpistas
O 1º de maio classista e socialista. Nenhuma aliança com a direita, por Fora Bolsonaro e todos os golpistas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1º de maio de 2018 v. DCO
Ato nacional de 1º de maio de 2018 pela liberdade de Lula, em Curitiba. Foto: Sindipetro PR/SC |

Nesta sexta, ocorrerá o ato classista de 1º de maio, dia internacional de luta dos trabalhadores. Organizado pelo Partido da Causa Operária (PCO), o ato ocorrerá a partir das 15h presencialmente em São Paulo, com cerca de 200 representantes do movimento sindical e social nacional, e será transmitido pela Causa Operária TV. O link já está disponível aqui.

É possível participar entrando em contato com militantes do PCO, que verificarão a disponibilidade e as questões de segurança sanitária, como também assistindo à transmissão ao vivo pelos canais da COTV no youtube, facebook, etc.

O ato classista surgiu da necessidade de se opor à capitulação histórica das centrais sindicais, sobretudo da CUT, que convidaram para seu “ato virtual” políticos golpistas, inclusive da extrema-direita.

Conforme denunciado em nota oficial do PCO, publicada aqui como coluna do companheiro Rui Costa Pimenta:

“Em matéria publicada no sítio Vermelho, dirigido pelo Partido Comunista do Brasil, PCdoB, no dia 23 passado, o articulista João Guilherme Vargas Netto, que se apresenta como consultor de várias entidades sindicais, nos dá a seguinte informação:

‘Confirmados os convites e as participações, o palanque virtual do 1º de Maio acolherá, além dos dirigentes e dos artistas, os ex-presidentes FHC, Lula e Dilma, os governadores Dória, Flávio Dino e Witzel, o ex-ministro Ciro Gomes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e muitos outros que comparecerão ao longo do dia’.”

O 1º de maio classista é um 1º de maio socialista, sem bandidos políticos; é uma reafirmação do propósito histórico do dia internacional de luta dos trabalhadores, que deve ser defendido vigorosamente da mesma maneira que o fizeram aqueles que, na 1ª Internacional dos Trabalhadores, sob a liderança de Marx e Engels, superaram a concepção anarquista da Liga dos Justos (a de que “Todos os homens são irmãos) e, no lugar dela, assentaram uma verdade elementar para todo o proletariado: A burguesia é inimiga mortal do proletariado! Por isso, o 1º de maio socialista tem como lema “nenhuma aliança com a direita, Fora Bolsonaro e todos os golpistas!”

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas