Siga o DCO nas redes sociais

Aliada de Ciro Gomes
Duda Salabert: ataque à esquerda esconde o oportunismo mais rasteiro
Uma política direitista: esse é o significa dos discursos de Ciro Gomes
des (4)
Aliada de Ciro Gomes
Duda Salabert: ataque à esquerda esconde o oportunismo mais rasteiro
Uma política direitista: esse é o significa dos discursos de Ciro Gomes
Foto: Leo Canabarro, Fotos Públicas.
des (4)
Foto: Leo Canabarro, Fotos Públicas.

A ex-candidata do Psol ao senado em Minas Gerais, Duda Salabert, concedeu entrevista ao site Universa, ligado ao Uol/Folha de S. Paulo, sobre sua entrada no PDT de Ciro Gomes. Como tem sido tradicional na imprensa golpista, os elementos da esquerda burguesa ou pequeno-burguesa são usados para atacar a esquerda. Foi o que aconteceu na entrevista.

Sem explicar exatamente o porquê de ter saído do Psol com acusações de transfobia, Salabert afirma que “a esquerda é pedante, elitista e tem um discurso excludente, distante da base. Tem, há tempos, dialogado com o próprio umbigo.” E continua: O PT precisa fazer autocrítica e a esquerda, uma reflexão. Precisamos entender onde erramos para construir uma alternativa ao governo Bolsonaro”.

Na linha de seu novo correligionário, a política mineira acredita que o golpe e o atual governo Bolsonaro é culpa do PT e da esquerda. A fraude nas eleições, a conspiração política – que já era óbvia mas que agora é escancarada pela “Vaza Jato” – para prender Lula e derrubar Dilma, enfim, todo o processo golpista são ignorados pela ex-Psol.

Assim como no caso de Ciro Gomes quando dispara contra o PT, a esquerda e Lula, o objetivo desse discurso, além de atacar o movimento de luta contra o golpe – e por isso a imprensa golpista dá tanto destaque para tais declarações – é estabelecer uma competição eleitoral com o PT. Salabert não esconde seu real motivo de ter escolhido entrar no PDT, afirma ela que “o PDT garantiu que minha candidatura vai estar no protagonismo do partido em Belo Horizonte. Ainda não decidimos se vou concorrer à prefeitura ou à Câmara Municipal”. Ou seja, por trás de todo o discurso contra a esquerda, da saída do Psol por “transfobia” etc há uma política eleitoreira e oportunista.

Salabert e Ciro Gomes exigem que o PT faça “autocrítica” por erros que teria cometido na realidade, mas não estão preocupados com o fato de que o PDT é parte da base da prefeitura de BH, do prefeito Alexandre Kalil, do PSD, partido que é base de Bolsonaro no governo federal.

Tudo isso mostra que as críticas de Ciro Gomes contra a esquerda são direitistas e mais ainda uma tentativa de apresentar o coronel do Ceará e seus correligionários como é o caso de Duda Salabert, como esquerdistas. Na realidade não passam de políticos burgueses, oportunistas e direitistas.