Siga o DCO nas redes sociais

Governador fascista
Doria justifica e defende chacina da PM em Paraisópolis
Doria, assim, mente, para proteger a PM de toda a culpa que ela tem pela chacina
grgrg
Governador fascista
Doria justifica e defende chacina da PM em Paraisópolis
Doria, assim, mente, para proteger a PM de toda a culpa que ela tem pela chacina
Doria justificou chacina em coletiva de imprensa. Foto: Governo do Estado de São Paulo
grgrg
Doria justificou chacina em coletiva de imprensa. Foto: Governo do Estado de São Paulo

Da redação – Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (02), o governador fascista de São Paulo, João Doria (PSDB), justificou e mesmo defendeu a chacina promovida pela Polícia Militar na favela de Paraisópolis na madrugada de ontem, que matou até agora nove pessoas.

“A letalidade não foi provocada pela Polícia Militar, e sim por bandidos que invadiram a área onde estava acontecendo o baile funk”, declarou. “Não houve ação da polícia em relação a invadir a área onde o baile funk estava ocorrendo. Tanto é fato que o baile funk continuou”, completou Doria.

Entretanto, as imagens da ação policial, bem como os depoimentos dos moradores, mostram exatamente o contrário. Policiais invadiram, sim, o local onde mais de 5 mil jovens participavam de um baile funk, e foi isso que gerou o grande tumulto. Os agentes utilizaram bombas de gás lacrimogêneo, cassetetes e mesmo armas de fogo, segundo os vídeos e os depoimentos.

Doria, assim, mente, para proteger a PM de toda a culpa que ela tem pela chacina. Até porque, o responsável por enviar a PM para reprimir a população é o próprio governador do estado. Doria tem culpa direta no massacre de milhares de pessoas, que resultou, até o momento, em nove mortes.

Na mesma entrevista coletiva, o fascista do PSDB afirmou que a política de segurança pública promovida pela PM – leia-se de repressão severa, execuções e chacinas – “não vai mudar”. Desta forma, Doria garante que o povo continuará sendo vítima da cruel repressão policial em São Paulo.

É preciso ficar claro que a PM é um órgão fascista cujo objetivo fundamental é esmagar a população pobre, fazendo o uso do monopólio da força que tem o Estado e promovendo ações como a chacina de Paraisópolis. Portanto, o povo deve lutar para colocar um fim nessa corporação. A Polícia Militar deve ser extinta, e com ela o governo Doria, golpista e ilegítimo, responsável por mais esse massacre contra os trabalhadores, jovens, negros, pobres e favelados de São Paulo.

Na próxima quinta-feira (05), haverá um ato no MASP, às 19h, contra a PM, pelo Fora Doria e em repúdio e denúncia dessa chacina.