Escravidão moderna
O caso aconteceu na cidade de Santo Antonio de Jesus, no recôncavo baiano, e foi descoberto em 2017.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1e5be7921efa162437a8_990x500_0_0_1_1 (1)
Casos de trabalho escravo ainda são frequentes no país. | Foto: Reprodução

Uma mulher foi condenada pela Justiça do Trabalho após denúncias anônima e ser constatado que a mesma mantinha uma empregada doméstica por mais de 35 anos sem receber nenhuma remuneração em sua casa. O caso aconteceu na cidade de Santo Antonio de Jesus, no recôncavo baiano, e foi descoberto em 2017.

Segundo depoimento para o Ministério Público do Trabalho, a empregada informou que não recebia nenhuma remuneração, e que o trabalho prestado era em troca de moradia, alimentação e vestuário e que por laços afetivos, não queria o resgate. Na condenação, a “empregadora” foi condenada a pagar uma cerca de R$170 mil para a vítima por danos morais, além de todos os direitos trabalhistas como INSS e FGTS.

O Ministério Público do Trabalho também informou que em 2019, 21 trabalhadores foram resgatados de trabalhos em situações análogas a escravidão. O estado da Bahia é o quinto em número de trabalhadores resgatados dessa situação desde 2003, com 3.270 casos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas