Dólar de Temer é maior que o de Dilma, no entanto, ele continua governando, por quê?

Brazil's President Michel Temer, reacts during a meeting for announcement of resources for expansion and modernisation of Brasilia subway, in Brasilia

Durante o processo que levou ao golpe do Governo Dilma Rousseff, a imprensa burguesa procurava criar uma série de fatos que explicariam porque o governo precisaria cair, estimulando o processo de impeachment na câmara, as manifestações fascistas na rua contra o governo ou até mesmo explicando porque Dilma deveria convocar novas eleições, apesar de ter ganho com o voto da maioria dos brasileiros.

Um dos argumentos da época era o valor do dólar perante o real brasileiro. Segundo a imprensa golpista, e os coxinhas reacionários que repetem tudo o que a Globo fala, o dólar estava mais alto do que nunca, e o governo era “insuportável”. Sendo que no seu pior momento, no último ano de seu primeiro mandato, o dólar não passou de 2,70 R$. Durante seu mandato sabotado pela direita, isto é, após as eleições de 2014, a moeda americana nunca chegou a R$ 4,20.

Agora, com o governo Temer, o dólar está atingindo valores estratosféricos. Recentemente, sua cotação chegou a atingir 4,21 R$, e não consegue ser cotada a menos de 4,00R$. E tudo indica um aprofundamento da crise econômica. Entretanto, demonstrando serem subservientes à política dos donos do poder mundial, não vemos a gigantesca campanha da imprensa para derrubar Temer, e muito menos seus manifestoches facilmente manipulados, por conta de sua ignorância, saindo às ruas de verde e amarelo para derrubar o governo.

Isso, apesar do dólar, do gaz de cozinha, da gasolina e o custo de vida, de maneira geral, estar mais caro. Tudo que diziam que era ruim durante o governo Dilma, piorou com o Governo Temer, que foi sustentado justamente pelos setores que faziam oposição ao PT, como o PSDB, o DEM, o PMDB, a imprensa burguesa e as marionetes estúpidas da classe média. Alguns irão dizer que o povo não está se revoltando por conta do processo eleitoral e já sabem que Temer vai sair. Mas isso seria um engodo já que os mesmos que apoiaram o golpe contra o governo Dilma, irão agora votar em políticos que sustentaram o governo Temer, como é o caso do PSDB – de Alckimin, Rodrigo Cunha e João Dória; o Partido Novo de João Amoedo – fundado pelo Itaú, que não só financiou o golpe como também recebeu diversas isenções de dívidas bilionárias; a família Bolsonaro – que foram ferrenhos apoiadores do Impeachment, e só pularam fora do barco quando o governo entrou na imensa crise política que vive atualmente; enfim, todos os políticos da direita que no fundo tem basicamente o mesmo programa: esmagar a população trabalhadora e favorecer o lucro dos grandes capitalistas.

Ou seja, tudo aquilo que era contado pela imprensa como motivo para queda do governo Dilma não passava de um golpe, as condições econômicas são piores agora que antes, mas ele não cai. Não cai pois não foi a economia que derrubou Dilma, foi imperialismo, e não convém a ele derrubar Temer.