Documento vazado revela plano do imperialismo para provocar o caos no Irã

Irã X Israel

Desde a chegada de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos a pressão sobre o Irã tem se intensificado. Desde a sua campanha eleitoral Trump vinha prometendo adotar uma política linha dura com relação a este país. O primeiro ato hostil foi o rompimento unilateral do acordo em torno do programa nuclear iraniano, o que foi mal recebido mesmo pelos aliados europeus que trabalharam na sua construção. Depois vieram as sanções. Os Estados Unidos determinam ao mundo que não comprem petróleo iraniano sob pena de sofrerem sanções também.

Agora vem a notícia através de documento vazado de que o diretor do conselho de segurança de Israel, Meir Ben Shabbat e o assessor de segurança nacional dos Estados Unidos, John Bolton reuniram-se secretamente para estabelecer planos para desestabilizar internamente o Irã. Eles entendem ser oportuno este momento uma vez que o país encontra-se atravessando dificuldades na área da diplomacia e também na da economia. Um grupo foi criado especialmente para discutir o assunto.

Os planos de Tel Aviv e Washington incluem ofensiva diplomática junto a países que Israel considera como amigos (inclusive na América Latina) e o fomento de desordens dentro do Irã. Os envolvidos nos planos acreditam que a crise advinda das ações de desestabilização não seriam suficientes para causar o colapso do regime iraniano mas geraria caos, o que enfraqueceria o governo.

A reunião pessoas a serviço do imperialismo para conspirar contra aqueles que a ele se opõem não é nenhuma novidade. O Irã se constitui no maior obstáculo à expansão sioniosta no Oriente Médio por isso é considerado por Israel como “uma ameaça existencial”. Neste tipo de guerra suja o que se busca é apenas o desgaste do governo alvo até que ele desista do poder ou seja derrubado por forças internas em razão da insatisfação originada das dificuldades sugidas da sabotagem externa.

O atual regime iraniano apesar das tem potencial e provavelmente irá superar o ataque da entidade sionista aliada aos Estados Unidos. O ataque do imperialismo estadunidense ao restante do mundo está levando países como o Irã cada vez mais a buscarem alternativas de atuação fora do sistema por ele imposto. Embora a inprensa corporativa do ocidente não noticie, novas plataformas comerciais e alianças políticas estão sendo construídas o que tornará, mesmo que leve algum tempo, irrelevantes as ameaças do imperialismo.