Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
27jan2019---cidadaos-observam-dano-causado-pela-lama-que-atingiu-a-regiao-de-brumadinho-mg-apos-o-rompimento-de-uma-barragem-de-rejeitos-de-minerio-da-vale-1548637168519_v2_1920x1280
|

Da redação – Em documento interno, os capitalistas da Vale previram, em outubro de 2018, o colapso da barragem de Brumadinho, além de calcularem o número de possíveis mortes e os custos para a empresa. A barragem se rompeu três meses depois.

De acordo com reportagem do jornal golpista Folha de S. Paulo, o documento estimava em mais de cem mortes caso a barragem fosse destruída por falhas na infraestrutura. Uma previsão muito precisa: até agora, foram 165 mortes com a tragédia em Brumadinho. E o cenário do rompimento foi muito semelhante ao projetado pela companhia.

Além disso, a Vale calculou em R$ 5,6 bilhões atuais os custos de um possível rompimento na barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão. As causas que provocariam o rompimento também foram consideradas, dentre elas erosão interna ou liquefação.

Isso demonstra a “preocupação” dos capitalistas com a vida dos seus trabalhadores e da população. Os capitalistas têm plena noção do que fazem e dos riscos que seus funcionários e a comunidade em volta de suas companhias correm. Mas o que importa para eles é o lucro, muito acima de qualquer direito ou mesmo da vida.

Para impedir que novos desastres como esse aconteçam é preciso expropriar a Vale e colocá-la sob o controle de seus trabalhadores. A empresa foi privatizada por Fernando Henrique Cardoso a preço de banana para entregá-la aos monopólios imperialistas lucrarem com as atividades criminosas, que geram reflexos como os rompimentos em Mariana e agora em Brumadinho.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas