Documentário contra o golpe: O Processo

o processo4

Ocorreu nesta terça-feira, 15, às 20h, no CineARTE, da famosa Avenida Paulista (São Paulo), a pré-estreia do documentário longa O Processo, seguida de um debate com a presença da diretora Maria Augusta Ramos, de Laura Benda (presidente da Associação Juízes para a Democracia) e Jessé Souza (sociólogo e escritor). A partir de hoje estará em exibição em diversas salas por todo o país e na capital paulista hoje em três cinemas.

Sobre a sinopse do documentário, o longa é dirigido pela talentosa diretora Maria Augusta, trazendo os bastidores de todas as movimentações políticas da direita golpistas e deixando claro a trama contra a ex-presidenta Dilma Rousseff em 2016  que culminou na deposição da petista, entre abril e agosto. Ao todo, foram produzidas 450 horas de material, que mostram como a equipe de Dilma, acusada sem provas do crime de irresponsabilidade – ou improbidade – fiscal nas contas públicas, organizou toda a luta política no período.

O documentário acompanhou de perto os principais fatos de toda a crise política gerada por essa direita golpista que hoje dominou o poder, denunciando como a quadrilha afetou o país desde 2013. Sem nenhum tipo de abordagem direta, como entrevistas ou intervenções nos acontecimentos, a diretora passou meses no Planalto e no Congresso Nacional captando imagens sobre votações e discussões que culminaram com a destituição da presidenta Dilma Rousseff do cargo.

Vale ressaltar aqui que no mês passado a produção venceu o prêmio de melhor longa do Festival Internacional de Documentários da Suíça, um dos mais importantes do evento. Além disso, foi escolhido pelo público da mostra Panorama do Festival de Berlim como o terceiro melhor documentário, denunciando assim, o golpe internacionalmente e ganhando voz nas declarações de diversos chefes – ou ex-chefes – de Estado da esquerda mundial.

Sobre o debate, o Diário Causa Operária acompanhou as perguntas e respostas, trazendo a seguir para nossos leitores:

Perguntas para diretora:
Se ela deixava a camera gravando “sozinha” durante as reuniões da Defesa.
R. Não, nos estavamos presentes gravando as reuniões da defesa da presidenta Dilma o temo todo, foram 400 horas de gravações no total.

Por que não há muitos momentos (de reunião) da Direita no filme?
R. Porque a Direita não permitiu acesso em suas reuniões.

O que você achou do machismo da Direita contra as Senadoras da Esquerda e contra Presidenta Dilma?
R. Tentei mostrar os dois pontos de vista, mas não quis enfatizar o sentimento de machismo no filme, mas ele esteve presente durante o impeachment /golpe.

Pergunta para Jessé Souza:

Qual a lição desse processo nos podemos aprender?
R. Parte da
população já entendeu que esse processo foi uma Fraude para retirar do poder um governo popular, apesar do esforço da Mídia Empresarial em distorcer a informação para enganar a população, uma grande parte dela não aceitou a versão Montada. E vemos isso na efervescência das manifestações contra o Golpe e contra a prisão do ex presidente Lula.
O JUDICIÁRIO (participante ativo do GOLPE) faz compadrio com a Mídia que esta a serviço do Mercado, tudo não passa de um assalto ao país pelo Capital Internacional e nacional, estes compram a Política para “Legalizar” o assalto ao erário publico, com leis e projetos de desoneração fiscal e perdão de dividas Bilionárias junto ao fisco, não permitir uma Auditoria na DiVida Pública (que garante 1 TRILHÃO em pagamento de Juros aos Rentistas. A grande Mídia e o MP chantageiam políticos e pregam a Demonização da Política e do Sufrágio Universal (voto popular) em prol dos seus interesses financeiros, capturando a pauta politica do país (sem o devido voto popular).

 

Segue a programação de hoje nas salas pela capital de São Paulo :

Local: Cine Livraria Cultura (Paulista)

Horário: 17:20h / 20:10h

Local: Cinesala (Fradique Coutinho, Pinheiros)

Horário: 16:00h / 20:40h

Local: Caixa Belas Artes (Consolação)

Horário: 14:50h / 17:40h / 20:30h