Expressivo avanço
Companheiros de várias partes do país se reuniram no último final de semana na Grande São Paulo para debater e aprovar o programa de luta para os trabalhadores da cidade e do campo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-08-16 at 16.48.02
A construção do Partido Operário brasileiro com a presença de trabalhadores de inúmeras categorias | DCO

Ocorreu no último final de semana na cidade de Embu das Artes, a 30ª Conferência Nacional do PCO, com mais de 120 companheiros, entre delegados e observadores, além de outras dezenas de companheiros que participaram virtualmente, inclusive com a participação de companheiros militantes que moram no exterior. Todos estes estiveram presentes para debater democraticamente a participação do Partido Operário nas eleições municipais.

Em virtude da pandemia, a direção partidária viu a necessidade de reduzir a proporção de delegados eleitos presentes, mesmo assim a participação foi muito ampla, com companheiros das mais diversas categorias de todas as regiões do País. Entre as categorias que participaram, estavam: bancários, correios(carteiros e trabalhadores da triagem de grandes centros de distribuição), professores da educação infantil ao ensino superior, entre estes servidores públicos municipais, estaduais e federais e ainda professores da Rede privada, trabalhadores da construção civil, trabalhadores rodoviários, metalúrgicos e funcionários públicos.

É uma expressão muito nítida do crescimento do PCO no último período. A política correta do PCO na campanha da luta contra o golpe, a luta contra o governo Bolsonaro e todos os golpistas colocaram o partido como a principal força política do País.

Como deve ser um partido operário e revolucionário, foram dois dias de discussões e debates democráticos.
Tal política está se materializando em um expressivo crescimento. Não um crescimento qualquer. Ele está baseado nos princípios de um partido revolucionário e marxista, ou seja, o crescimento de sua militância, de companheiros ativos que estão dispostos a dedicarem seus esforços à construção do partido e a organização do movimento operário e nao em acordos com a burguesia ou no vale-tudo das eleições.

A participação do PCO nas eleições será também um momento de denúncia dos inúmeros ataques impostos à classe trabalhadora de maneira avassaladora desde o início do golpe de Estado.Entre os ataques que não cessam estão a reforma da previdência, a reforma trabalhista, as terceirizações, a imposição do trabalho intermitente, o corte de vários direitos que se acentuaram com a pandemia e com a decisão da quase totalidade dos sindicatos do país a paralizarem suas atividades durante a mesma.Ao mesmo tempo em que atacavam com a retirada de direitos históricos o desemprego no país cresceu a níveis nunca vistos na história brasileira, com o número de desempregados suplantando o de empregados.

Para o PCO as eleições não são um momento de fazer demagogia como faz a burguesia e a esquerda pequeno-burguesa, mas de chamar os trabalhadores a se mobilizar contra o enorme roubo que são estes quatro anos de golpe de Estado.É tarefa deste período ampliar a denuncia junto ao povo da destruição do país e da classe trabalhadora provocada pelos fascistas de plantão nos governo federal, estadual e municipaís do Brasil, pavimentando a estrada em direção ao socialismo no país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas