Pernambuco
Direita golpista está prestes a fraudar mais uma eleição
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
mendonça joão
João Campos e Mendonça Filho | Foto: Reprodução

Nossa redação acaba de tomar ciência de que o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) decidiu proibir atos presenciais durante os últimos dias da campanha eleitoral. A resolução, expedida nesta quinta-feira (29) pela ditadura do Judiciário, determina que:

“Art. 1º – Ficam proibidos, no Estado de Pernambuco, os atos presenciais relacionados à campanha Eleitoral 2020 causadores de aglomeração, ainda que em espaços abertos, semi-abertos ou no formato drive-in, tais como:

I – comícios;

II – bandeiraços, passeatas, caminhadas, carreatas e similares;

III – confraternizações ou eventos presenciais, inclusive os de arrecadação de recursos de campanha, ainda que no formato drive-thru”

A resolução é uma aberração jurídica e escancara a ditadura da burguesia. Neste exato momento, o governador golpista Paulo Câmara (PSB) está promovendo a reabertura das escolas, depois de já ter matado mais de 8 mil pernambucanos com sua política de retomada total da economia. O Judiciário não moveu uma palha para impedir esse genocídio. A decisão contra os atos de rua é, portanto, uma decisão de cunho claramente político.

Considerando a situação política, pode-se inferir facilmente quem são os maiores interessados em proibir a campanha de rua: a direita, notadamente representada por três candidatos principais: João Campos (PSB), Mendonça Filho (DEM) e Patrícia Domingos (PODE). João Campos é o candidato da “frente ampla”, isto é, da aliança de setores da oligarquia pernambucana com os setores mais reacionários da esquerda, como é o caso do PCdoB e da ala direita do PT, representada por Humberto Costa. Mendonça Filho é o candidato do chamado “centrão”, sobretudo do DEM e do PSDB, mas que também possui um vínculo com o bolsonarismo. Patrícia Domingos, por sua vez, é uma espécie de “Wilson Witzel” de Pernambuco, que foi colocada nas eleições como um “trunfo” no caso de a burguesia não conseguir emplacar seus candidatos preferenciais.

Devido à falência política do DEM e de Mendonça Filho, é possível que, neste momento, Patrícia Domingos tenha, inclusive, mais votos que o ex-ministro da Educação. No entanto, a decisão do TRE pode garantir que Mendonça consiga chegar ao segundo turno.

A operação nada mais é do que uma fraude, semelhante à que aconteceu em 2018 com a cassação dos direitos políticos do ex-presidente Lula. O objetivo é levar ao segundo turno o PSB e o DEM ou, caso Mendonça Filho se torne inviável, o PSB e o PODE. A fraude serviria para que a burguesia chantageasse o PT e a esquerda em geral a apoiar a candidatura do PSB, consolidando a “frente ampla”, de modo a desmoralizar completamente a luta contra o golpe e pelo Fora Bolsonaro.

É preciso que a esquerda e todos os setores democráticos denunciem a arbitrariedade do TRE. Afinal, além de a fraude ter como objetivo aprofundar o golpe de Estado, ela tem como fundamento a destruição de um direito constitucional inalienável: o direito à manifestação.

A retirada de direitos e as arbitrariedades têm sido uma constante nas eleições municipais, que se mostraram as mais antidemocráticas das últimas décadas. Partidos como o PCO, a UP, o PCB e o PSTU foram impedidos de ter acesso à propaganda eleitoral na rádio e na televisão. Ao mesmo tempo, o Partido da Causa Operária, único a utilizar as eleições como tribuna pelo Fora Bolsonaro e Lula presidente, tem sido vítima de uma duríssima perseguição: seus candidatos estão sendo indeferidos por arbitrariedades e censurados na imprensa burguesa. O candidato a prefeito do Recife, Victor Assis, foi censurado por levar cartazes no debate da UFPE, teve o vídeo de sua entrevista excluído pela Rádio Jornal, a candidatura indeferida temporariamente pela Justiça Eleitoral por motivos inexplicáveis e já foi caluniado de todas as maneiras pelo Jornal do Commercio e pela Rede Globo.

Diante da decisão perigosíssima do TRE, o PCO convoca todos a saírem às ruas contra a proibição inconstitucional, pelo Fora Bolsonaro, pela restituição dos direitos políticos de Lula e pela derrubada do regime político golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas