Ditadura: procuradores golpistas querem impor o Escola Com Fascismo

ministerio-publico2

Os procuradores golpistas e Bolsonaristas, que apoiaram o golpe de Estado no Brasil, que apoiaram a operação golpista Lava Jato, e a prisao ilegal e política de Lula, quer agora que as escolas voltem para a época da ditadura militar, onde os professores só possam falar o que o estado repressor aprove.

Sob o nome de escola sem partido, os procuradores golpistas e bolsonaristas, querm uma escola fascista, aonde o professor dava aula vigiado por soldados dentro das salas de aula.

Hoje, os procuradores golpistas, que assinam um manisfesto em defesa da lei fascista da escola sem partido, querem usar o ministério público para legalizar o fascismo nas escolas, usando os velhos e batidos argumentos da direita de que é preciso proteger as crianças da ideologia comunista, dos professores que são “ativisitas”.

Os procuradores bolsonaristas, fazem parte do movimento reacionário que levou Bolsonaro a presidência da república em uma eleição fraudada, favorecendo a venda do patrimônio nacional para os grandes capitalistas internacional, e  a retirada de direitos dos trabalhadores brasilieiros, como o fim da CLT (Consolidação da Leis Tabalhistas) e agora o Ministério do Trabalho.

É preciso reagir ao golpe e o avanço do fascismo no Brasil, através de a formação de comitês de luta contra o golpe, fortalecendo a campanha fora Bolsonaro e todos os golpistas, e pela liberadade de Lula.