Ditadura: Golpistas cassaram mandatos eletivos no sul de Minas Gerais

Casarão_Monsenhor_Paulo_Florêncio_da_Silveira_Camargo_01

Da redação – Iremos reproduzir aqui a íntegra de uma denúncia realizada por um militante contra o golpe de Minas Gerais.

Após o golpe de Estado em Dilma Rousseff em 2016, a direita não só avança sobre os setores populares como demonstra sua força contra todos os que minimamente se opõe ao seu regime pseudo-democrático.

No Sul de Minas Gerais, essa tática servil do imperialismo não é diferente. Agentes políticos estão sendo cassados não só em nome da luta contra a “corrupção” e também mais escandaloso e fraudulento os ataques contra prefeitos e vereadores por erros ou falhas administrativas. Na verdade, são desculpas para aplicar novo golpe de retirada dos elementos que podem ou atrapalham o livre desmando da burguesia local.

É a escola de golpistas sendo colocada em prática em uma região do estado de Minas Gerais para que o conservadorismo agora o terrorismo golpista, se impõe sobre o setor da esquerda e mantenha o total controle do regime político golpista.

Assim, em 23 de fevereiro deste ano, a Prefeita reeleita da cidade de São Thomé das Letras Marisa Maciel de Souza (PT) foi cassada pela câmara municipal por não ter respondido 17 requerimentos de informações. O Vereador Vinícius Luciano (PCdoB) da cidade de Monsenhor Paulo foi cassado por chamar a prefeita de “prefeitinha”, tendo ela o chamado primeiro de “vereadorzinho”. A Prefeita da Cidade de São Lourenço Célia Cavalcante (PR) foi cassada em 06/03/18 devido permitir influência do marido na prefeitura. Já a prefeita do Partido da Republica (PR) reassume o cargo por que o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) alega ilegalidade na cassação.

Há outros elementos e indícios do golpismo na região sul mineira. No entanto, esses casos emblemáticos nos servem de orientação e norte. Mesmo que a burguesia suspenda o mandato de um agente político da direita, esses por sua vez, retornarão ao cargo com mais facilidade, deixando uma brecha legal para a cassação e até prisão dos setores esquerdistas, demonstrando falsamente uma imparcialidade da justiça e das câmaras de vereadores, recheados de elementos reacionários e servos do poder dominante.

Nos resta denunciar, lutar e enfrentar combativamente esses setores reacionários e doentios do capitalismo combalido. A denúncia deve e pode ser feita pelos meios de comunicação, panfletagem e atos públicos. A luta deve ser efetiva e prática nas ruas, aglutinar o maior número de pessoas e avançar sobre a direita e a extrema-direita com palavras de ordem clara, Fora Bolsonaro e todos os golpistas!