Ditadura espanhola persegue quem homenageia ex-membros do ETA

maxresdefault

Da redação – O governo espanhol vai pedir uma investigação ao Ministério Público contra militantes de esquerda bascos que homenagearam dois ex-membros do ETA, antiga organização armada que lutou pela independência do País Basco.

As homenagens ocorreram nesse final de semana nas cidades bascas de Hernani e Oñati. Na primeira, quem recebeu a homenagem foi José Javier Zabaleta, conhecido como “Baldo”. Ele acaba de cumprir uma pena de 29 anos de prisão por participar em diversas ações do ETA. No segundo município, o homenageado foi Xabier Ugarte Villar, que ficou 22 anos presos apenas por no sequestro de um empresário – a dureza das penas evidencia quão ditatorial é o Estado espanhol.

O próprio governo do País basco, dominado pela burguesia nacional basca vinculada ao imperialismo espanhol, falou para os independentistas da região não realizarem esse tipo de homenagem aos presos políticos e militantes pela causa da independência.

O ETA anunciou seu desarmamento definitivo em 2017 e no ano seguinte todas as suas estruturas foram dissolvidas. No entanto, o Estado espanhol continua perseguindo ex-militantes e pessoas ligadas à causa independentista, não só no País Basco mas também na Catalunha e na Galiza.