Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
weber
|

Da redação – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu nesta segunda-feira, 10, ao golpista Supremo Tribunal Federal (STF), mais uma liminar para prorrogação do prazo de substituição da candidatura à presidência, após a ministra golpista, presidenta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, negar o adiamento do prazo previsto em lei para até duas semanas antes das eleições.

A ministra golpista Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o recurso extraordinário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra o indeferimento de seu registro de candidatura, votado dia 1º, a “toque de caixa”, pelos verdadeiros “deuses de toga” que desprezam a Constituição.

Sobre o encaminhamento, a presidente golpista estava como responsável em analisar se havia base constitucional no pedido dos advogados para enviar ao Supremo, já que a ação foi articulada em torno da “defesa” do ministro Edson Fachin, durante o julgamento do dia 1º, em que o golpista decidiu ponderar o posicionamento do comitê de direitos humanos da ONU e afirmar que os tratados internacionais devem ser respeitados.

No despacho, assinado pela presidente às 23h23 deste domingo, afirmou: “o simples enunciar das teses debatidas pelo Colegiado evidência relevante questão constitucional a recomendar juízo positivo de admissibilidade ao recurso extraordinário, com a consequente submissão do feito à análise da Suprema Corte brasileira”. Além dessa colocação, agrupou ao documento o fato de que os ministros irão ter que debater especificamente sobre a controvérsia que, inclusive, está gerando denúncias internacionais: a necessidade ou não da edição de um decreto presidencial para que um tratado internacional passe a valer no direito doméstico de um país.

Porém, Weber negou o pedido de avanço no prazo dado ao PT para substituir seu candidato, frente à argumentação da defesa sobre a lei, que estabelece o prazo de até três semanas do primeiro turno, ou seja, 17 de setembro. A golpista afirma que a Corte deve decidir em breve, então, devemos esperar algo parecido com o dia 1º, um circo montado às pressas, marcado às 12h58 para começar às 14h, sem dar tempo algum para os trabalhadores reagirem.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas