Ditadura aberta: agentes do imperialismo, Moro e chefe da PF negociam espionagem das redes sociais

moro eua

O Juiz Sérgio Moro, atualmente ministro do governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro, está em viagem aos Estados Unidos junto com a comitiva da Presidência. Durante a viagem Moro anunciou que irá trabalhar em negociações para que o Estado brasileiro possa ter acesso à informações de usuário da rede social Facebook e do aplicativo de mensagens Whatsapp.

Moro, que tem profundas ligações com os norte-americanos e inclusive foi treinado pela inteligência do imperialismo, pretende estabelecer um acordo com a justiça norte-americana para obrigar as empresas a entregarem dados pessoais de cidadãos brasileiros que estiverem sendo investigados. De acordo com a tradicional demagogia da direita golpista, a medida seria utilizada para fortalecer o combate ao crime organizado, o que é uma uma mentira descarada.

A verdade é que o acordo que Moro e Bolsonaro pretendem fazer com os norte-americanos tem como objetivo central ampliar a perseguição política que tem sido forma de ação sistemática do sistema judiciário brasileiro. Desde o Golpe de Estado de 2016, no qual a direita e o próprio imperialismo norte-americano derrubaram ilegalmente o governo de Dilma Roussef, a justiça brasileira tem sido usada como um mecanismo para prender e intimidar os adversários políticos dos golpistas cometendo uma série de arbitrariedades e absurdos. Vale lembrar que o próprio Moro foi responsável por condenar o ex-presidente Lula em um julgamento sem provas e totalmente farsesco.

Além da prisão de Lula, temos observado a justiça brasileira assumir características cada vez mais ditatoriais e tem servido como um dos principais pilares de sustentação do regime político. Agora, Moro, que recebeu um Ministério de presente por ter tirado Lula das eleições, pretende legalizar a espionagem contra os cidadãos brasileiros através do acesso à dados privados dos usuários do Facebook e Whatsapp. É preciso denunciar esta ação absurda do governo Bolsonaro e de seus capachos, como o próprio Sérgio Moro, pois o suposto “combate ao crime” é apenas uma desculpa furada para estender ainda mais a perseguição aos movimentos e lideranças populares.

A violação de privacidade que Moro está propondo para os norte-americanos significa colocar nas mãos da justiça golpista o poder de espionar abertamente os cidadãos brasileiros, tudo isso supervisionado e aprovado pelo imperialismo norte-americano que é o inimigo número um de todos os povos. Moro e seus colegas na justiça golpista são todos capachos do Departamento de Estado dos EUA e seguem ordens diretas da CIA e do FBI, que querem colocar todas organizações de esquerda na ilegalidade e todos os opositores do regime na prisão.