Futebol x Capitalistas
A derrota da Globo no mercado do futebol enfraquece seu monopólio, que sempre o utilizou na ampliação dos bilionários lucros dos Marinhos às custas do sofrimento do povo

Por: Redação do Diário Causa Operária

A Rede Globo segue sendo enfraquecida em seu monopólio. Esse enfraquecimento em parte é dado pela perda da emissora nas transmissões do futebol. Recentemente o SBT entrou em disputa com o Grupo Globo pelo direito de transmissão do Campeonato Carioca 2021.

No caso do campeonato carioca de futebol a disputa entre as emissoras ainda não se encerrou, mas especialistas afirmam que o SBT tomou a dianteira para ter também os direitos de transmissão do campeonato carioca de futebol em 2021. A proposta da emissora de Silvio Santo, considerada mais flexível e se baseia em transmissões na plataforma do Youtube e na criação de um canal de pay-per-view, tal proposta encontrou boa repercussão entre os dirigentes de clubes pelas oportunidades que o negócio proporciona para as marcas e a abertura de novos horizontes.

O avanço do SBT sobre as programações esportivas se reforçou ainda mais, após o sucesso da transmissão do segundo jogo da final do Campeonato Carioca, no dia 15 de julho do ano passado. Na ocasião o SBT comprou os direitos de transmissão para exibir a segunda partida da final do Campeonato Carioca, após negociar um acordo para adquirir com exclusividade a partida junto ao Flamengo, mandante da partida e, consequentemente, dono dos direitos do jogo. Desde que passou a investir na programação esportiva, o Campeonato Carioca tornou-se uma prioridade no SBT.

Desde setembro do ano passado o SBT detém os direitos de transmissão da Copa Libertadores da América para TV aberta, após acordo com a Conmebol, na disputa a emissora venceu a Globo. E com isso, no futebol, a emissora no último final de semana deu uma nova goleada na emissora da família Marinho, com a exibição da partida final da Libertadores da América no Maracanã entre Palmeiras e Santos.

Para tentar vencer a disputa de mercado e que é revelada pelos índices de assistência no horário, a Globo tentou se utilizar do programa de origem ianque “Big Brother Brasil 21” durante a tarde do último sábado (30). Para isso tentou se utilizar do “Big Fone” chamada programa, que em seu horário normal, durante a noite eleva os índices da emissora. Mas no entanto, o Big Fone seria apresentado durante a realização da finalíssima de futebol entre as 17 e 19 horas do sábado e foi amplamente propagandeado nos dias que antecederam a finalíssima.

A iniciativa desesperada da Globo não deu resultado, e apesar da emissora dos Marinhos realizar três entradas ao vivo na casa do Big Brother Brasil, no fim da tarde do último dia 30, não conseguiu desbancar a final da Libertadores, que deu o título ao Palmeiras, levou uma goleada da rival com placar de 24,7 pontos contra 11,2 na Grande São Paulo, segundo dados preliminares do instituto Kantar Ibope –cada ponto equivale a 205.377 pessoas. Durante o jogo a emissora de Silvio Santos atingiu picos de 31,1 pontos na Grande São Paulo.

A derrota da Globo para um outro forte conglomerado da comunicação capitalista, é positivo, pois estas disputas e divisões entre os capitalistas põem em risco o monopólio. Ainda que SBT e outros também sejam parte desse monopólio, mas fato é que as contradições entre eles acaba enfraquecendo o domínio, que há décadas é da rede globo de Televisão e no tocante ao futebol, cultura do povo, sempre se utilizou da compra e exibição dos campeonatos para lucrar e colocar o direito do povo no tocante ao lazer ao serviço de seu riquíssimo cofre bancário.

O futebol não pode ser uma mercadoria e não pode estar sob o controle de monopólios. É preciso que todos os jogos sejam transmitidos na TV, que os ingressos sejam vendidos a preços populares, que os jogos sejam realizados em horários que ampla parcela da classe trabalhadora possa assistir e torcer por seus clubes, que todas as restrições às torcidas sejam revogadas, que o futebol e os clubes estejam sob o controle dos torcedores.

Esse monopólio, como a Rede Globo, uma concessão pública, que manipulou trabalhadores de todo Brasil através dos grandes jornais durante o golpe contra Dilma, na prisão de Lula, que alçou Jair Bolsonaro ao poder precisa ser derrubado. Esta briga capitalista auxilia neste enfraquecimento. É preciso acabar com o monopólio das transmissões e colocar as TVs e o futebol sob controle das organizações populares.

Send this to a friend