Petroleiros massacrados
Patrões aumentam em 400% a sua remuneração, enquanto trabalhadores ficam chupando o dedo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Roberto Castello Branco, chief executive of Petroleo Brasileiro SA, attends a news conference in Rio de Janeiro, Brazil February 28, 2019. REUTERS/Sergio Moraes
Diretoria golpista enche os bolsos enquanto descontam a crise nos trabalhadores. | Foto: Reprodução.

O presidente golpista  da Petrobras Castello Branco quadruplicou sua remuneração e a dos demais integrantes da diretoria da Petrobrás. Juntos, eles consumirão R$ 43,3 milhões da receita anual da empresa, o que representa uma média de R$ 400 mil mensais para cada um. A gestão informou à imprensa que o aumento da remuneração está alinhado “ao novo foco da Petrobras de valorizar a meritocracia e maximizar os resultados.

Enquanto isso, a proposta aos trabalhadores é de reajuste salarial de 0%,zero, nada.Ou seja, para os patrões, as regalias e os benefícios de um crescimento extraordinário que a empresa teve, com a gestão Castello Branco se aproveitando da pandemia para não apenas acelerar as privatizações e reduzir gastos às custas dos trabalhadores, mas também para premiar os que contribuem para o desmonte da empresa e do ACT.

Os trabalhadores já pagaram na carne no mês de abril, com cortes de direitos e redução salarial na certa apenas serviram para bancar o salário dos ”meritocratas” da diretoria. Foram mais de 20 mil trabalhadores que tiveram que engolir uma redução de 25%, e milhares de outros petroleiros de áreas operacionais foram sumariamente desimplantados do turno, com impactos de 50% em seus vencimentos.

A FUP (Federação Única dos Petroleiros) denunciou na época que se a Petrobrás suspendesse a distribuição de dividendos aos acionistas e o pagamento de reajustes, bônus e programas de remunerações variáveis para os gestores, pouparia R$ 4,406 bilhões, praticamente o dobro dos 2,4 bilhões que anunciou que economizaria com as medidas de cortes.

Enquanto exige sacrifício dos trabalhadores, que só estão recebendo o coronavírus como pagamento dos patrões, a gestão Castello Branco protege os interesses da diretoria e dos acionistas a quem destinou mais R$ 1,7 bilhão em plena pandemia, lembrando que eles já haviam recebido R$ 9 bilhões em 2019. Só para ter uma ideia do que isso representa para os trabalhadores, os R$ 10,7 bilhões pagos aos acionistas equivalem a quase o dobro do que a Petrobras investe em SMS.

É necessária uma ampla mobilização nacional dos petroleiros para arrancar conquistas dessas reinvindicações. Mas isso passa, evidentemente, pela derrubada do governo golpista de conjunto. Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas