Diretoria do BNDES insiste em cortar direitos dos trabalhadores na campanha salarial da categoria

bndes_logo_foto_1

Está marcada para o próximo dia 21 de setembro a assembleia dos trabalhadores do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) que definirá os rumos da campanha salarial, quando os patrões continuam propondo a retirada de direitos.

Os bancários do BNDES deram uma resposta aos ataques dos prepostos do governo golpista de Michel Temer à frente do banco, ao se mobilizarem contra as propostas dos banqueiros de retirar direitos conquistados através de muitos anos de luta da categoria.

A direção retrocedeu em algumas propostas, tais como a cláusula de proteção contra despedida arbitrária ou sem justa causa e a de licença por inaptidão temporária, as duas permanecem no acordo, mas a direção golpista do banco mantém a proposta de retirar a cláusula de licença paternidade, além disso pretende passar a obrigação do empregado a pagar 4% referente ao vale-transporte, sendo que os trabalhadores são isentos a muitos anos fruto da luta da categoria.

A vitória parcial dos trabalhadores do BNDES é sinal de que é possível conquistar as necessidades mais sentidas da categoria. A burguesia se vê pressionada pela situação, pela crise provocada pela evolução da situação à esquerda, com a enorme revolta e rejeição popular contra o golpe, e isso se verifica ao gigantesco apoio à candidatura do ex-presidente Lula, que através golpe, no processo farsa do Triplex, com a a sua prisão, impugnaram a sua candidatura, com base na famigerada lei da ficha limpa, provavelmente ganharia, a eleição no primeiro turno, se não fosse cassado.

Nessas condições é preciso ampliar a mobilização, rejeitar os ataques e a proposta miserável dos banqueiros.