Siga o DCO nas redes sociais

Judiciário golpista
“Direitos Já” votou a favor da ditadura
Indicado de Bolsonaro para a PGR recebe votos de senadores “progressistas”
Aras
Judiciário golpista
“Direitos Já” votou a favor da ditadura
Indicado de Bolsonaro para a PGR recebe votos de senadores “progressistas”
“Foto: Reprodução” – Augusto Aras, novo chefe do MPF
Aras
“Foto: Reprodução” – Augusto Aras, novo chefe do MPF

O bolsonarista de perfil conservador e reacionário, Augusto Aras, é o novo Procurador-Geral da República pelos próximos dois anos. Aras sequer figurava na lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), que sugere os nomes para que dali possa sair o indicado. A indicação partiu do próprio presidente fraudulento Jair Bolsonaro, que tem a prerrogativa de indicar o nome para a chefia do Ministério Público Federal. Augusto Aras irá substituir a direitista e não menos reacionária Raquel Dodge, indicada pelo golpista Michel Temer. Dodge se notabilizou por apoiar as falcatruas da famigerada operação “Lava Jato”, acobertando as flagrantes ilegalidades dos seus pares, os Procuradores Deltan Dallagnol e sua equipe de inqusitores, juntamente com o ex-juiz Sérgio Moro, integrante do desastrado ministério bolsonarista, onde ocupa o cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública.

O novo ocupante do cargo de Procurador-Geral da República foi sabatinado na quarta-feira, dia 25 de setembro, na Comissão de Constituição e Justiça daquela casa parlamentar, onde obteve 23 votos favoráveis à sua indicação. No plenário, do total de 81 votos possíveis, o bolsonarista defensor da ditadura militar obteve 68 votos favoráveis a sua indicação e 10 votos contrários, com 1 (uma) abstenção. Dois senadores não compareceram à sessão. Embora a votação se realize de forma secreta, o número de votos que apareceu no painel garantindo a indicação de Aras evidencia que o nome indicado por Bolsonaro recebeu o apoio de amplos setores da “oposição”, incluindo aí o bloco que compõe o movimento “Direitos Já”, e também de senadores da própria “esquerda”, que viram no indicado de Bolsonaro um nome mais “palatável” ao de Raquel Dodge, que pleiteava a recondução ao cargo.

Durante a sabatina na CCJ, Augusto Aras já antecipou como será sua atuação a frente do Ministério Público Federal, instituição que, no último período, atuou afrontando a própria constituição, cumprindo um papel determinante no golpe de Estado de 2016, que depôs, de forma ilegal e conspirativa, o governo eleito em 2014. Sobre a golpista e ilegal “operação Lava Jato”, Aras declarou que a operação é um “modelo de excelência” e um “marco” na história do país, mas deverá passar por “correções” (G1, 25/09). Para que não haja dúvidas a respeito do que pensa o novo ocupante do MPF, Aras disse ainda “ser favorável à prisão após condenação em segunda instância porque, segundo ele, “o nosso processo civilizatório exige.” Entretanto, “defendeu o direito dos condenados a recursos e a habeas corpus” (idem, 25/09). Perceberam quanto senso de justiça!!!…o Procurador bolsonarista apoiado pelos setores “progressistas” do Senado, alguns integrantes do movimento “Direitos Já” é favorável a “recursos e até mesmo habeas corpus”!!!

A luta contra o governo Bolsonaro, a burguesia e o imperialismo não pode ser conduzida via articulações com os setores golpista (“Direitos Já”), que neste momento buscam se reciclar, afastando-se, de forma temporária e oportunista, do cadáver insepulto do impopular Jair Bolsonaro, para, num segundo momento, uma vez reciclados, voltarem a atacar a esquerda e a luta popular contra os ataques do governo. Não há qualquer perspectiva de êxito nesta política reacionária, fracassada, que busca asfixiar e paralisar a ação independente dos movimentos que lutam pela derrubada do governo de extrema direita, tutelado pelos militares golpistas.