Menu da Rede

Não à sabotagem dos atos

Falsificação golpista

Direita transforma Bruno Covas, inimigo do povo, em mártir

Os trabalhadores não veem em Covas ou na direita qualquer respeitabilidade e admiração, vê os ataques, a crueldade

Pedras em viadutos é a verdadeira imagem de Covas para SP – Foto: Reprodução

 

Tão logo anuncia a morte do então prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), a imprensa golpista apressou-se para cumprir rapidamente sua função por excelência: falsificar a história. Bruno Covas, como qualquer tucano, é inimigo do povo e dos trabalhadores e com primor Covas exerceu este papel, desde confiscar cobertores de moradores de rua no inverno até uma política de morte na pandemia com mais 30 mil vítimas do vírus na cidade de São Paulo. 

Com sua morte, no entanto, a burguesia através da imprensa tenta mascarar a verdadeira face da direita e expor Bruno Covas como um grande político, como já tentam fazer há algum tempo montar a imagem de um político da direita tradicional, tão carniceira e podre quanto a extrema-direita, como civilizado, moderado, científico e democrático. Nada mais cínico que a direita inimiga dos trabalhadores tentar se passar por democrática e civilizada enquanto esmaga o povo com o desemprego, a pandemia, a miséria e a fome.

Dentre as falsificações lançadas na imprensa burguesa para limpar a imagem carcomida e decadente de Covas e do PSDB aqui vão algumas:

“Um jovem talento da política brasileira, que lutou bravamente contra a doença e, mesmo diante do momento mais difícil da sua existência, fez questão de se manter próximo do trabalho e da sua missão de cuidar da maior cidade do país. A partida de Bruno é uma grande perda no presente, mas também uma lacuna no futuro.”

“Bruno, embora ainda jovem, teve carreira pródiga em realizações. Foi deputado estadual, deputado federal, secretário estadual do Meio Ambiente em São Paulo, vice-prefeito e prefeito. Por todos esses cargos que conquistou pelo respeito e admiração da sociedade, deixou sua discreta marca de probidade, inteligência e realizações.”

Evidentemente existe uma grande distância entre o Bruno Covas pintado pela imprensa golpista e o Covas real, o qual os trabalhadores e a população mais oprimida de São Paulo conheceram e sentiram na própria pele os ataques por Covas e pela direita “civilizada”.

O Covas de verdade, só para dar alguns exemplos, foi o que em fevereiro desde ano, em plena piora da pandemia, ordenou a instalação de pedras na parte debaixo de um viaduto na Zona Leste de São Paulo com o único objetivo de impedir que moradores de rua da localidade se refugiassem embaixo do viaduto para dormir ou se proteger da chuva, sem mencionar quando o mesmo civilizado Covas mandou confiscar pertences de moradores de rua.

Covas pode ser lembrado também por, em menos de um ano, durante a pandemia, despejar mais de 1.000 famílias de suas moradias na favela do Jardim Julieta, no Parque Novo Mundo, zona norte de São Paulo e na Vila Dionísia, zona norte de São Paulo. Muitas destas pessoas não terão aonde ir, serão obrigadas a se tornarem moradores de rua, onde também serão perseguidas pela prefeitura direitista de Covas e agora seu sucessor.

Dá para perceber que Covas não gostava de moradores de rua – embora transformasse milhares de pessoas em moradores de rua promovendo despejos – mas o que Bruno Covas não gostava ainda mais era dos moradores de rua da cracolândia, um de seus feitos contra a cracolândia foi enviar a GCM atacar os moradores de rua do local com balas de borracha, spray e golpes de cassetetes.

A manobra da imprensa para montar uma imagem completamente diferente de Bruno Covas serve a um propósito bem definido que é impulsionar o PSDB, fazendo de Covas um nome que seria exemplo para o partido e para a população pela falsa imagem de alguém integro, forte, de caráter, que lutou contra um câncer enquanto administrava a maior cidade do País e que isto seria uma demonstração de comprometimento e preocupação com a população de São Paulo.

Quanto à sua administração de São Paulo o que temos são mais de 30 mil mortes pelo coronavírus, milhões de desempregados, ataques aos professores, imposição de aulas na pandemia, privatizações, e claro, perseguição a moradores de rua.

Pois bem, o que há de civilizado nisto? O que há de respeitável e admirável? Qual a probidade em agir como um nazista em um campo de concentração? Não há. Os trabalhadores não veem em Covas ou na direita qualquer respeitabilidade e admiração, vê os ataques, a crueldade.

Covas, e muitos outros tucanos e direitistas foram verdadeiros carrascos para o povo, foram verdadeiros fascistas. Os moradores de rua atacados, sem nenhuma perspectiva, sem teto e sem comida conseguem demonstrar mais humanidade, “probidade”  e “respeitabilidade” do que Bruno Covas e os civilizados da direita. Covas não foi um herói, foi um inimigo do povo, como qualquer político direitista.

 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.