Porto Seguro (BA)
O presidente do PSL da cidade está pendindo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
polícia federal
A base de apoio do fascista Jair Bolsonaro são as forças policiais. | Foto: reprodução

Na cidade de Porto Seguro (BA), o presidente do diretório municipal do fascista PSL, Renovato Dias enviou um ofício à Polícia Federal, exigindo a intensificação das operações contra a chamada boca de urna, com maior repressão e a utilização de drones.

Renovato Dias é ex-delegado chefe da Polícia Federal, em Porto Seguro, e como todo elemento fascistóide pede ainda mais repressão contra a população e colocar as eleições sob a ditadura da Forças de Repressão, como a PF, a PM e a Civil, que formam a base social de Jair Bolsonaro e sua política genocida.

A medida de “combater” a criminosa boca de urna pode até enganar pessoas mais ingênuas, mas demonstra que as eleições são uma verdadeira ditadura onde não se pode fazer absolutamente nada.

O pedido de mais repressão pelos fascistas do PSL vem de encontro com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) decidiu – faltando menos de cinco dias para as eleições municipais – proibir todo tipo de atividade relacionada à campanha eleitoral no Estado da Bahia.

A decisão do desembargador somente foi elogiada pela direita, como de ACM Neto, que elogiou a medida da justiça. O pedido do ex-delegado da PF, organização articuladora do golpe de estado em 2016 e apoiadora do juiz Sérgio Moro e da Operação Lava Jato, e do direitista ACM Neto demonstra que essas medidas não são para manter as eleições democráticas e vai no sentido oposto.

A direita fascista quer impor para a população um clima de terror e hostilidade para que as eleições sejam controladas pela direita e que, possam ser manipuladas de acordo com seus interesses.

A direita não quer campanha eleitoral nas ruas, sem propaganda em rádio e televisão, para que só apareçam seus candidatos ligados a direita e os patrões. Se as eleições fosse mesmo democráticas, com espaço e recursos para todos os candidatos é evidente que a população não iria votar em sanguessugas da direita e dos patrões. Foi dessa maneira que o fascista Jair Bolsonaro foi eleito de maneira fraudulenta. Foram anos de campanha contra o PT, um golpe de Estado, prender Lula e proibir sua candidatura, proibir Lula de aparecer na campanha eleitoral e eleições com uma infinidade de restrições de campanha.

A direita não quer que tenha campanha eleitoral para que a população não conheça os candidatos da esquerda e ligado aos trabalhadores e que seja denunciado que seus candidatos são patrões ligados ao presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, como Jânio Natal, Uldurico Junior e o tucano Luigi Rotunno. A direita só consegue ganhar eleições se for sob a botina das forças de repressão e em manipulações grotescas, caso contrário os candidatos dos trabalhadores seriam eleitos.

É preciso denunciar as condições completamente antidemocraticas das eleições com regras que somente beneficam os candidatos da direita e com muito dinheiro, e que colocar o processo eleitoral sob a tutela das forças policiais e beneficiar a fraude e fortalecer o bolsonarismo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas