Fraude continua
Setor da burguesia pretende utilizar a pandemia como pretexto para esticar o prazo de vigência da Lei da Ficha Limpa
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
urna
Urna eletrônica | Foto: Alan Marques/Folhapress

A antidemocrática Lei da Ficha Limpa, que foi instituída para impedir que candidatos que se choquem com os interesses do regime sejam eleitos, determina que políticos condenados por práticas supostamente ilegais não possam participar das eleições durante um período de 8 anos. Esse prazo, contudo, não será suficiente para barrar candidatos condenados em outubro de 2012, uma vez que, excepcionalmente, as eleições acontecerão em novembro deste ano.

Para tentar impedir essas candidaturas, o deputado Célio Studart (PV-CE) pediu ao Ministério Público que ampliasse o prazo da Lei da Ficha Limpa, de modo a contemplar os adiamentos feitos por causa da pandemia de coronavírus. Se acatado, o pedido pode se tornar um precedente para ampliar a perseguição do regime aos candidatos considerados indesejados.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas