Fase vermelha é uma farsa
98% de ocupação de leitos destinados ao tratamento do covid19, já é um colapso.

Por: Redação do Diário Causa Operária

A população do Acre vem sofrendo os efeitos da política neoliberal do governo da direita genocida brasileira desde o início da pandemia. Apesar dos crescentes números de infectados e mortos, o máximo que o governo deliberou, foi colocar o Estado do Acre na bandeira vermelha, em uma antecipação da reunião do Comitê de Avaliação de Classificação de Risco da COVID-19, que seria dia 05/02, e foi realizada segunda-feira dia 01.

O que levou a antecipação da reunião foram os dados de que 98% dos leitos do SUS no Estado do Acre, destinados ao tratamento do COVID-19 estão ocupados. São 162 dos 170 leitos clínicos ocupados (95%), e 60 dos 75 leitos de UTIs ocupados (80%). Até então eram 48.820 casos confirmados do COVID-19 e 873 mortes. No dia seguinte já foram mais de 1000 mortos, e considerando a falta de testagem em massas, e os problemas de financiamento que o SUS está sofrendo desde o golpe de 2016, podemos dobrar esses números.

Segundo o “Comitê de Acompanhamento Especial da COVID-19”, essa situação poderia agravar o risco de um colapso do sistema único de saúde…98% de ocupação dos leitos destinados ao tratamento do COVID-19, já é um colapso, na nossa singela avaliação.

“Todo o Acre estará em bandeira vermelha até o dia 19 de fevereiro, para não precisarmos viver a medida mais radical, que é o lockdown. Estamos priorizando a vida para que não se instale no Acre o mesmo caos que outros estados do país enfrentam”, comentou o governador do PP ao pedir a “compreensão, colaboração e respeito” da população às medidas, sem citar que a situação já é para um lockdown total. 

Mas o que é colocar o Estado em bandeira vermelha?

Estão autorizados a funcionar: supermercados, mercantis e congêneres, farmácias, clínicas médicas, psicológicas, odontológicas e veterinárias, espaços de fisioterapia, laboratórios, óticas, oficinas mecânicas no geral, bancos, hotéis, funerárias, postos de combustíveis, lojas de materiais de construção, indústria em geral com atendimento ao público mediante agendamento, empresas de alimentos, medicamentos, águas, gás, produtos de limpeza, higiene e de EPIs. Atividades físicas em espaços públicos estão autorizadas, desde que não haja aglomeração de mais de cinco pessoas.

Portanto, os trabalhadores não estarão na fase vermelha, já que alguém tem que colocar todas essas estruturas em movimento.

Não podem funcionar os seguintes segmentos: os não essenciais. Feiras, feiras livres, shoppings, cinemas, clubes, academias, bares, centros culturais, clínicas de estética, igrejas. A aglomeração de pessoas em espaços públicos também está restrita. Restaurantes poderão funcionar apenas com delivery. Aqui teremos cozinheiros, caixa, pessoas para embalar e o IFOOD trabalhando.

Essa fase vermelha é uma farsa. 

Em nenhum momento no Brasil ou em qualquer estado brasileiro foi cogitado um lockdown verdadeiro. O aumento da miséria em nosso país em nada contribui para esse controle. O Bolsonaro nada fez e os governadores por sua vez, também não fizeram. Aumenta o desemprego, a fome, os moradores de rua. As campanhas de vacinação sem vacina estão em todos os lugares. Esperaram até o último momento para tomar providências de compra de vacinas, e agora a população tem que aguardar enquanto morremos aos montes nos hospitais lotados, onde faltam leitos, respiradores, oxigênio. Sem contar as condições de trabalho para os trabalhadores da saúde, que estão igualmente adoecendo e morrendo. 

Essa é a demagogia dos governos da direita que “clamam pelas vidas”, mas não adotam medidas realmente eficazes de controle da pandemia de COVID-19, e ainda por cima, responsabilizam a população por não ficar em casa.

Send this to a friend