Direita golpista usa mortes em escola para realizar campanha pela redução da maioridade penal

Cj4pL4iVEAEuIRR

Após o massacre de Suzano, a direita golpista se ouriçou e trouxe de volta a campanha pela redução da maioridade penal no país. Esse é mais um mecanismo utilizado pelos golpistas para atacar a juventude pobre e negra. O que aconteceu na escola em Suzano, representa uma reação violenta de uma grande opressão sofrida por aqueles jovens, é evidente que se resultaria em algo irracional e cruel com a mesma intensidade.

O fato é, que a esquerda pequeno-burguesa tem feito coro com a direita, uma vez que reforçam o argumento do desarmamento da população e o reforço dos órgãos de repressão do Estado. A direita se aproveita muito bem dessa confusão desses setores da esquerda para colocar sua política arrasadora em prática. João Doria, o governador fascista de São Paulo, já declarou que irá pressionar parlamentares para fazerem a defesa da redução no Congresso Nacional. Além disso, toda sua argumentação está baseada no bolsonarismo.

Flávio Bolsonaro, foi outro representante da extrema-direita que fez campanha pela redução da maioridade e afirmou  que o acontecido é justamente consequência da redução ainda não ter passado no país, também publicou nas redes sociais “mais uma tragédia protagonizada por menor”. E afirmou, que se os funcionários estivessem armados isso não teria acontecido. O argumento do bolsonarista, é muito claro e representa diretamente a repressão e encarceramento da juventude pobre e negra. Finalmente, é isto que essa política representa, é de característica do estado burguês o reforça da repressão quando se trata dessas questões.

O debate gerado em torno dessa questão, somente reforça que a política que deve ser levada adiante é a de combater o avanço da extrema-direita por meio de leis repressivas que atacam o povo. Enquanto a esquerda pequeno -burguesa se lamenta e faz árdua campanha pelo desarmamento, isso tende a favorecer a direita oportunista e não os trabalhadores. Portanto, é preciso organizar a luta e a mobilização popular contra os golpistas, com uma política verdadeiramente combativa.