Siga o DCO nas redes sociais

Bolívia
Helicóptero de Evo Morales é obrigado a fazer pouso forçado
Presidente faria voo de Colquiri para Oruro, pouso forçado acontece em meio a golpe de Estado em marcha no país
helicoptero.jpg-1
Bolívia
Helicóptero de Evo Morales é obrigado a fazer pouso forçado
Presidente faria voo de Colquiri para Oruro, pouso forçado acontece em meio a golpe de Estado em marcha no país
Foto: Twitter
helicoptero.jpg-1
Foto: Twitter

Da redação – O prazo final do ultimato da direita golpista a Evo Morales está se aproximando do fim. Até às 19h locais (20h em Brasília), Evo Morales teria que renunciar, ou pode haver uma tentativa de golpe militar. A ameaça foi feita durante um sábado, por Luis Fernando Camacho, em Santa Cruz. O presidente da Bolívia respondeu mobilizando seus apoiadores, incluindo mineiros e outros setores operários e populares, que farão uma vigília em La Paz de hoje até sexta-feira em defesa do governo eleito. Foi nesse quadro que o presidente boliviano levou um susto hoje quando se dirigia de Colquiri para Oruro em um helicóptero. A aeronave teve um problema e caiu cerca de 15 metros. Evo saiu ileso.

Veja o vídeo do momento em que o helicóptero de Evo Morales quase cai:

Investigação

A possibilidade de uma sabotagem criminosa, para tentar assassinar o presidente, é óbvia. A Força Aérea da Bolívia anunciou que será estabelecida uma Junta de Investigativa de Acidentes para acompanhar o caso.

Em seu Tweeter, Hugo Moldiz, ex-ministro, denunciou o ocorrido como um “atentado criminoso”: “Esse é um atentado criminoso. Aconteceu o mesmo com Omar Torrijos no Panamá.” E chamou à mobilização contra o imperialismo: “Mobilização e luta contra o golpismo imperial e conservador”.

Embate

Neste momento, tanto a direita golpista mobiliza coxinhatos golpistas quanto o governo chama protestos contra o imperialismo em defesa do governo. Trata-se de um conflito anunciado entre o país e agentes do imperialismo na Bolívia. A situação boliviana expressa um confronto generalizado no continente, que está colocando as massas de um lado e o imperialismo e seus lacaios de outro, na luta popular contra o imperialismo.

Durante esta segunda-feira (4), Evo Morales reuniu setores operários e populares que anunciaram seu apoio ao presidente. Líderes mineiros avisaram que usarão dinamites, proibidos em protestos desde 2016, nos atos de defesa do governo. Eles exigem que o dinamite volte a ser legalizado para uso em manifestações. Enquanto isso, da parte4 da direita, paira sobre a Bolívia uma ameaça de um novo golpe militar.

Desde a eleição de Evo Morales nas eleições do dia 20 de outubro, a direita faz uma campanha contra o governo alegando fraude eleitoral, usando essa campanha para alimentar uma tentativa de golpe de Estado que está em curso.