Bolívia
Presidente faria voo de Colquiri para Oruro, pouso forçado acontece em meio a golpe de Estado em marcha no país
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
helicoptero.jpg-1
Foto: Twitter |

Da redação – O prazo final do ultimato da direita golpista a Evo Morales está se aproximando do fim. Até às 19h locais (20h em Brasília), Evo Morales teria que renunciar, ou pode haver uma tentativa de golpe militar. A ameaça foi feita durante um sábado, por Luis Fernando Camacho, em Santa Cruz. O presidente da Bolívia respondeu mobilizando seus apoiadores, incluindo mineiros e outros setores operários e populares, que farão uma vigília em La Paz de hoje até sexta-feira em defesa do governo eleito. Foi nesse quadro que o presidente boliviano levou um susto hoje quando se dirigia de Colquiri para Oruro em um helicóptero. A aeronave teve um problema e caiu cerca de 15 metros. Evo saiu ileso.

Veja o vídeo do momento em que o helicóptero de Evo Morales quase cai:

Investigação

A possibilidade de uma sabotagem criminosa, para tentar assassinar o presidente, é óbvia. A Força Aérea da Bolívia anunciou que será estabelecida uma Junta de Investigativa de Acidentes para acompanhar o caso.

Em seu Tweeter, Hugo Moldiz, ex-ministro, denunciou o ocorrido como um “atentado criminoso”: “Esse é um atentado criminoso. Aconteceu o mesmo com Omar Torrijos no Panamá.” E chamou à mobilização contra o imperialismo: “Mobilização e luta contra o golpismo imperial e conservador”.

Embate

Neste momento, tanto a direita golpista mobiliza coxinhatos golpistas quanto o governo chama protestos contra o imperialismo em defesa do governo. Trata-se de um conflito anunciado entre o país e agentes do imperialismo na Bolívia. A situação boliviana expressa um confronto generalizado no continente, que está colocando as massas de um lado e o imperialismo e seus lacaios de outro, na luta popular contra o imperialismo.

Durante esta segunda-feira (4), Evo Morales reuniu setores operários e populares que anunciaram seu apoio ao presidente. Líderes mineiros avisaram que usarão dinamites, proibidos em protestos desde 2016, nos atos de defesa do governo. Eles exigem que o dinamite volte a ser legalizado para uso em manifestações. Enquanto isso, da parte4 da direita, paira sobre a Bolívia uma ameaça de um novo golpe militar.

Desde a eleição de Evo Morales nas eleições do dia 20 de outubro, a direita faz uma campanha contra o governo alegando fraude eleitoral, usando essa campanha para alimentar uma tentativa de golpe de Estado que está em curso.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas