“Direita golpista destruiu a Saúde: Bahia é o estado que mais corre risco de ter surto de poliomielite”

vacina

É na Bahia que ocorre o maior risco de volta da poliomielite, diz Ministério da Saúde. Apenas, 63 cidades da BA, menos da metade do público-alvo foi vacinado. Em todo o Brasil, conforme o órgão, 312 municípios estão com baixa cobertura para a vacina contra a poliomelite.

Há muito não ouvíamos falar num surto de poliomielite. O último caso da doença no estado foi registrado no final da década de 80, mas, como o vírus ainda circula no mundo, pode haver o risco de contaminação.

Uma bomba prestes a explodir. O município baiano de Ribeira do Pombal, a cerca de 300 km de Salvador, foi o que registrou o menor índice de imunização do país em 2017 em crianças menores de 1 anos. Apenas 0,50% foram vacinadas.

Contudo, mais de 60 cidades baianas não vacinaram nem metade das crianças contra poliomelite.

Uma doença realmente arrasadora. A poliomielite é transmitida pelo Poliovírus, que pode estar na água ou alimentos contaminados. O vírus destrói as células da medula espinhal, levando à perda de massa muscular e à paralisia. Atualmente, o poliovírus circula em três países: Afeganistão, Paquistão e Nigéria.

A recomendação internacional para o controle da doença é de que pelo menos 95% das crianças sejam vacinadas. Atualmente, a média nacional de cobertura é de 77%.

O Ministério da Saúde admite haver alto risco de retorno da poliomielite em pelo menos 312 cidades brasileiras. O alerta foi feito na quinta-feira, 28, em uma reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. “É uma situação gravíssima”, afirmou a coordenadora do Programa de Imunização, Carla Domingues. A Bahia é o estado com a situação mais grave, pois 15% dos municípios imunizaram menos da metade das crianças, quando a recomendação é que a cobertura vacinal seja superior a 95%.

Para quem imaginava que estávamos livres de doenças históricas.

Só a classe operária organizada pode derrotar o golpe, o sucateamento da saúde e demais mazelas do Golpe de Estado. Só a classe operária, através de uma gigantesca greve geral, pode barrar o avanço do golpe.