A direita golpista em Araraquara, cidade do interior de São Paulo, está buscando consolidar a campanha pela deposição do prefeito petista por meio da última polêmica, a revisão do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). Por Araraquara ser uma das cidades mais importantes que o Partido dos Trabalhadores (PT) conseguiu adquirir o poder municipal, a campanha da direita contra os petistas locais é enorme.

A imprensa golpista fez grande alarde com relação ao tema, colocando de modo equivocado que a revisão era um aumento indiscriminado e consistia em confisco generalizado realizado pela prefeitura. A revisão, que já foi tratada por este diário em outras matérias, colocou alguns empresários locais em guerra declarada contra o PT araraquarense, mesmo não tendo sido este o único partido a realizar a revisão do imposto.

Em uma postagem de sucesso nas redes sociais, o dono de um cemitério local com o valor de quase 10,5 milhões de reais estava reclamando que o valor de seu imposto havia passado para 40 mil reais anuais, menos de 1% do valor do imóvel. O terreno em questão é do tamanho de aproximadamente 6 campos de futebol e encontra-se com atividade comercial regularizada, sendo o valor cobrado muito ínfimo. Mesmo assim, na internet a comoção foi geral por causa de uma manipulação numérica, pois o valor anterior era de somente 8 mil reais.

Já há um manifesto online para impedir o reajuste do imposto, que é impulsionado por setores de direita demagógicos, como o caso do grupo Direita São Paulo de Araraquara. Tudo isso vindo em um momento muito apropriado, justamente quando a Procuradoria Geral da República (PGR) reabre processo contra Edinho Silva (PT), o prefeito da cidade.

A população araraquarense não deve cair nas manipulações da direita, que mesmo fazendo campanha contra o aumento do IPTU, é a mesma que apoiou o golpe que promoveu o fim da CLT e quer confiscar a aposentadoria da população.

Relacionadas