Reabertura genocida!
A Bahia registrou 3.450 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, sendo que os casos se espalham por 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (21,86%)
acm
O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto e o atual, Bruno Reis, ambos do DEM  | Foto: Facebook
acm
O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto e o atual, Bruno Reis, ambos do DEM  | Foto: Facebook

O prefeito de Salvador, golpista e “pupilo” de ACM Neto, Bruno Reis (DEM), após sinalizar para o retorno das aulas presenciais na cidade a partir de fevereiro, com a pressão dos donos de escolas privadas, segue também agora as ordens dos capitalistas, liberando a volta dos Cinemas, teatros e casas de espetáculos a partir desta terça-feira (9). 

O horário de funcionamento dos shoppings centers também foi ampliado na capital baiana, podendo funcionar das 10h às 22h, de segunda a sábado. Até então, o horário de funcionamento dos centros comerciais era de 11h às 21h. 

“Isso não pode ser encarado como uma flexibilizacao, mas como uma medida para facilitar até o funcionamento dos shoppings, por isso, vamos ampliar”, afirmou o prefeito capacho dos capitalistas.. 

Porém, a crise sanitária na cidade só aumenta. Por mais que os golpistas escondam, modifiquem, falsifiquem os números, pregando um decréscimo da média móvel de mortes por covid-19 na cidade, tentando estabilizar a taxa de ocupação de leitos exclusivos para covid, que variou entre 65% e 70% no mês de janeiro, o caos se demonstra instaurado cada vez mais com a falta de vacinas, volta às aulas e reabertura do comércio. 

“Nesse mês de janeiro, nós acompanhamos a média móvel de novos casos, a média móvel do número de mortos e a média móvel no fator RT. Elas vêm caindo, apesar de o fator RT ainda estar acima de 1, e isso mostra que a pandemia não está sob controle, mas, ela vem caindo. Então, resolvemos reabrir cinemas com distanciamento, com 50% da capacidade e com todos os protocolos já anunciados”, explicou de forma cínica. 

Sobre a reabertura dos teatros, o prefeito explicou que foi uma demanda que veio dos artistas, já que os governos de direita nos estados, seguindo o governo federal, estão matando de fome a classe em todo território nacional. “Os teatros é uma demanda de muitos artistas, principalmente daqueles que foram contemplados pela Lei Aldir Blanc. Esses artistas precisam ter espaço para fazer a live, a gravação e a produção do material, que é uma forma de comprovação de utilização do recurso. Foi uma demanda do segmento de cultura da nossa cidade o mais impactado nesse momento com a pandemia”, justificou, jogando nas costas de pessoas que dependem disso para sobreviver, e passando pano para os grandes capitalistas que são os verdadeiros responsáveis pela reabertura criminosa.  

Bruno informou que a Fundação Gregório de Matos (FGM) já utilizou R$ 17,5 milhões dos R$ 18 milhões que foram disponibilizados aos artistas soteropolitanos pela Lei Aldir Blanc, o que, diga-se de passagem, é uma miséria. 

A Bahia registrou 3.450 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com as informações divulgadas pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), nesta quarta-feira (10). As informações fazem parte do boletim diário da pasta que ainda contabiliza 616.789 casos confirmados, desde o início da pandemia. Ainda sobre a doença, os casos confirmados de Covid-19 ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (21,86%). A taxa de ocupação da UTI adulto é de 74% e a pediátrica 63%. Os leitos clínicos estão em 69% (adulto) e 70% (pediátrico).

É preciso lembrar aqui que Bolsonaro liberou trilhões aos banqueiros, grandes industriais, fazendeiros, no início da pandemia, e gastou mais alguns bilhões para comprar parlamentares nas últimas eleições da Câmara e do Senado. Mas para os artistas: a miséria.  E também, que o DEM, dos “científicos”, da Frete Ampla da esquerda pequeno burguesa, agora reabrem comércio e escolas a mando dos capitalistas em meio a crise da saúde pública do coronavírus. 

 

Relacionadas
Send this to a friend