Extrema-direita
Direitistas invadem agroindústria que é fruto das mobilizações dos trabalhadores rurais e sem terra no Ceará
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
campo
Trabalhadores do campo com seus instrumentos de trabalho | Foto: Sebastião Salgado

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) sofreu uma invasão fascista em uma de suas agroindústrias no estado do Ceará. No último sábado (17), um grupo de 8 pessoas tendo, junto deles, Cirilo Vidal – Partido Social Democrático (PSD) e Diego Trindade invadiram o laticínio destinado aos trabalhadores Sem Terra e realizaram filmagens e fotos afirmando que o local estava abandonado. No entanto, essa não é a realidade.

Sabe-se que essa atitude é mais uma manifestação fascista que busca intimidar e coagir os trabalhadores Sem Terra que a tempos vem lutando pela garantia dessa agroindústria. Em ano eleitoral inventam histórias criminosas com objetivo de crescer politicamente. 

A agroindústria de laticínio no Assentamento Nova Canaã  é fruto da mobilização popular e que ainda está em fase de conclusão. O objetivo é que assim que os processos burocráticos forem finalizados o empreendimento seja destinado aos trabalhadores beneficiando mais de 500 famílias, conforme manifesto em nota de repúdio do MST.

Um dos invasores, Cirilo Vidal, é candidato a vereador pelo PSD em Quixeramobim e  toda sua campanha eleitoral é em cima da imagem de empresário rural. Não basta muito esforço para verificar que atende os interesses do agronegócio.  A outra figura presente na invasão,  Diego Trindade, segundo nota do MST, também é conhecido no local por defender a política Bolsonarista.

Essa invasão a agroindústria  demonstra que os fascistas bolsonaristas não estão dispostos a aceitarem que os pequenos produtores do local tenham autonomia para produzir e, farão de tudo para impedir o avanço das conquistas dos trabalhadores do campo. Querem, muito claramente, apropriarem-se do que é fruto do trabalho do povo, da conquista dos trabalhadores do campo.

Diante disso, não resta outra saída aos trabalhadores e pequenos produtores rurais e sem terra a não ser a mobilização. Para impedir os avanços direitistas devem permanecer mobilizados e, diante desse atual cenário fascista, para se protegerem, devem se organizar em comitês de auto defesa. A direita fascista age com todas as armas contra o povo e, diante disso, o povo deve reagir a altura.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas