CAB

Para fazer crescer o movimento é preciso ir aos trabalhadores

Direções pelegas contra a vida

Direções estudantis pelegas querem volta às aulas na pandemia

Entidades estudantis de escolas particulares vão contra as orientações dos especialistas e pedem o retorno das aulas presenciais em pleno segundo platô da Covid-19 no Brasil.

Sala de aula vazia durante a pandemia de Covid-19 necessária para barrar a proliferação do Coronavírus. – Foto: Reprodução

Com a chegada da pandemia no Brasil, em março de 2020, mudanças abruptas nas rotinas de toda a população trouxe o ensino a distância para dentro dos lares de muitos estudantes. Seria quase que uma testagem a nível global da eficiência do homeschooling (um modelo de educação domiciliar adotado por famílias que querem educar seus filhos fora da escola). Passados 6 meses de aulas remotas, empresários do ramo da educação e pais de alunos, principalmente de escolas particulares, passaram a protestar pelo retorno das aulas presenciais alegando perdas para os alunos no rendimento pedagógico, sociabilidade, saúde mental e outros fatores, além de defenderem que o ambiente escolar é seguro sob o ponto de vista da transmissão do Coronavírus.

Mas porque pedir tanto para retornar se todos ainda não estão protegidos contra a Covid-19? O fato é que muitos empresários do ramo da educação, pensando em seus lucros, perceberam, após reclamações de pais em tentativas de reajustes das mensalidades em 2020, que enquanto haver aulas remotas não será possível ampliar seus ganhos, além disso, teria problemas com o marketing, pois suas estruturas diferenciadas não poderiam ser utilizadas para atrair novos alunos e mais uma vez ampliar seus lucros.

Como um efeito de lavagem cerebral, pais e empresários (donos das escolas) passaram a atuar sob o ponto de visão dos alunos, aliciando-os para cobrarem junto a eles o retorno das aulas presenciais. Com as políticas restritivas barrando psicologicamente e paralisando a esquerda pequeno burguesa, entidades estudantis passaram a ser alvos fáceis de serem manipulados pelos grandes capitalistas do ensino.

Em Natal-RN, na última quarta-feira (05), uma manifestação feita por representantes de grêmios estudantis das escolas particulares da capital potiguar expôs os frutos da política de paralisa da esquerda e a possessão das mentes dos alunos, agora manipulados pelos patrões do ensino.

As entidades pelegas desconsideram os riscos de contração e propagação do vírus sob justificativas frágeis e sem cobrar vacinas, ações efetivas e políticas sérias de combate e enfrentamento a pandemia, como é possível observar na fala do estudante João Manoel Lopes de Sousa Ribeiro, presidente do Grêmio estudantil Ayrton Senna, representando uma das escolas particulares presentes na manifestação. Para ele é importante uma manifestação partindo deles, representantes dos estudantes, pois até o momento não havia um posicionamento formal das direções estudantis. Ele também afirmou que difundirá nas redes sociais um manifesto a favor do retorno presencial.

Sem sequer cobrar vacinação em massa, sem se importar com os demais funcionários que compõe o ambiente escolar, com a frieza do pensamento capitalista e da burguesia conservadora que pouco se importa com o colapso no sistema de saúde e as mais 420 mil vítimas fatais da pandemia e sem a atuação enfática da luta estudantil pelos direitos básicos, que foram paralisados pelas políticas de temor a manifestações, direções estudantis passam a ser dominadas e a se demostrar manipuláveis pelos patrões que se utilizarão desse posicionamento e falas representativas para fazer propaganda da volta as aulas presenciais. Vamos sair dessa letargia e agir esquerda!

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.