Siga o DCO nas redes sociais

PCO define os próximos passos
Direção do PCO decide: mais atos em defesa de Lula e nova Conferência
Em reunião do Comitê Central do PCO, a direção do Partido decidiu impulsionar atos estaduais em todo o país pela liberdade de Lula e a organização da 2 Conferência Nacional de luta
Webp.net-resizeimage (5)
PCO define os próximos passos
Direção do PCO decide: mais atos em defesa de Lula e nova Conferência
Em reunião do Comitê Central do PCO, a direção do Partido decidiu impulsionar atos estaduais em todo o país pela liberdade de Lula e a organização da 2 Conferência Nacional de luta
Militância reunida no ato do dia 14 em Curitiba. Foto: Eduardo Matysiak.
Webp.net-resizeimage (5)
Militância reunida no ato do dia 14 em Curitiba. Foto: Eduardo Matysiak.

Logo após o vitorioso ato do dia 14 de setembro, que reuniu em Curitiba milhares de militantes de um setor muito combativo da esquerda brasileira pelo “Lula Livre”, o Comitê Central Nacional do Partido da Causa Operária reuniu seus dirigentes para discutir o balanço do ato e os próximos passos da luta pela liberdade de Lula e contra o governo Bolsonaro.

Na avaliação da Direção do Partido, o ato em Curitiba foi um sucesso absoluto. Serviu para agrupar um setor muito consciente da militância brasileira, pessoas que sabem que um movimento de luta independente precisa se autofinanciar. Neste sentido, os próprios militantes que compareceram ao ato arcaram com os custos, que totalizaram cerca de R$ 300.000,00, coletivamente. É muito positivo que os gastos deste ato tenham ficado praticamente saldados ao final da atividade, afinal demonstram a maturidade de um amplo setor da militância.

O ato também foi uma demonstração de uma grande disposição de luta contra a direita. Mesmo em condições adversas – afinal, mesmo depois de 3 meses das denúncias bombásticas feitas sistematicamente pelo The Intercept, a esquerda brasileira não tinha feito nenhum ato nacional pela liberdade de Lula – milhares de pessoas se reuniram.  No ato, pôde-se perceber que o moral da militância estava alta. Não se viu ali demonstrações de desânimo e capitulação por parte do público. Pelo contrário, viu-se ali um setor muito aguerrido.

Ao mesmo tempo, o ato teve uma gigantesca repercussão. Com um milhão de pessoas que acompanharam a atividade pela internet, seja por meio do conjunto da imprensa do Partido ou por portais de esquerda como o Brasil 247 e a Revista Fórum, e até mesmo os perfis do ex-presidente Lula nas redes sociais, acreditamos que a atividade será a primeira de muitos atos por todo o Brasil na luta pela liberdade de Lula, e também pelo “Fora Bolsonaro”.

Embora um setor direitista da esquerda tenha procurado ignorar este, que foi um ato da maior importância política, por tudo que foi apresentado nesta matéria, o Comitê Central do PCO ratificou as nossas palavras de ordem centrais, “Liberdade para Lula” e “Fora Bolsonaro” como eixos fundamentais da luta política no país e decidiu ampliar as atividades em todo o Brasil, impulsionando atos estaduais nas capitais nas próximas semanas.

Ao mesmo tempo, a Direção do Partido deliberou pela convocação da 2ª Conferência Nacional Aberta de Luta contra o Golpe e o Fascismo.  A atual crise política do governo Bolsonaro, que não tem precedentes na história do país, coloca a necessidade de organizar a luta do povo contra o imperialismo e a direita, que colocaram Bolsonaro na presidência em meio à grande farsa que foram as eleições sem Lula, no ano passado.