TOFFOLI
|

Da redação – Na segunda-feira, dia 17 de setembro, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli se negou a retomar esse ano o julgamento da prisão em segunda instância.

O ministro que vai colocar um general como seu “conselheiro” – leia-se “as forças armadas vão dirigir suas decisões – defende a Lava-Jato incondicionalmente, garante a segurança das urnas eletrônicas – atrasada em três gerações e com diversos fatos provando a facilidade de serem hackeadas e fraudadas – deixou claro que Lula vai ficar sim até 2019 nas eleições.

Toffoli já declarou, que:

“Na minha opinião, eu penso, que como se trata de um recurso limitado, que são os embargos de declaração, e o tema foi extremamente debatido, muito dificilmente vai haver qualquer mudança”

Mesmo em 2019 está claro que, pela declaração de Dias Toffoli, as chances de Lula ter sua defesa levada a sério, ter seus direitos respeitados, e ser libertado por ser preso político, são quase nulas.

Lula precisa ser mantido preso de qualquer maneira. O trânsito em julgado de sentença penal condenatória –  o julgamento em todas as instâncias – não existe mais. O Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal já não valem de nada. Você é preso mesmo ainda “podendo se defender”. Pra que servem então, os advogados de defesa?

Claramente querem que Lula apodreça na prisão. Com isso, o precedente de prenderem qualquer pessoa de esquerda, de operários, de candidatos de esquerda se torna muito fácil. A luta pela liberdade de Lula é a luta pela liberdade de toda a esquerda.

 

Relacionadas