Dia 7 de Junho de 1985: Sendero Luminoso realiza ataque a visita do presidente argentino Raúl Alfonsín

Sendero Luminoso faz um ataque ao presidente da direita argentina,  Raúl Alfonsín, em visita ao Peru.

Sendero Luminoso

A organização guerrilheira peruana “Sendero Luminoso”, é um agrupamento surgido em 1964, de caráter Maoísta, atuava entre os camponeses acreditando que a revolução iria partir do campo. Eram também adeptos da luta armada contra os governos. A partir do final da década de 1970 até 1990 travou diversas batalhas contra os governos ditatoriais até ser massacrado pelo governo de Alberto Fujimori (1990-2000), chegando a ser o o grupo guerrilheiro mais poderoso da América do Sul, contando com mais de 10 mil militantes.

 

Raúl Alfonsín, chegou ao poder logo após o ataque brutal dos Ingleses ao território das Ilhas Malvinas. Na Inglaterra, Margareth Thatcher (que impôs o regime neoliberal de forma brutal na Inglaterra) subiu ao poder e apoiou a candidatura de Alfonsín.

Raúl Alfonsín

O presidente peruano em 1985 era Fernando Belaúnde Terry, que oprimiu e massacrou os camponeses no país inteiro, sempre em nome da democracia. Seguiu-se a ele Alan Gárcia Pérez e, para o massacre final, Alberto Fujimori.

Nesse contexto, o governo de Terry aceitou a visita de Raúl Alfonsin. O Sendero Luminoso realizou uma série de ataques contra o governo de Terry, de Alfonsín, e, de certa forma, aos governos diversos da América Latina governada por fantoches do imperialismo.

Em 7 de junho de 1985, o grupo guerrilheiro dinamitou torres de alta tensão, carros bomba e incêndios em luta contra os governos neoliberais e assassinos dos governos do Peru e da Argentina. Nesses ataques, não houve nenhuma vítima.

 

Camponeses em Lima, Peru, 1978, em apoio ao Sendero Luminoso

 

Desenho do Sendero Luminoso
Cartaz de apoio aos operários e da luta do Sendero Luminoso