31 de maio de 1793: O Terror na Revolução Francesa

No dia 31 de maio de 1793, os Jacobinos (conhecidos como extremistas) no período denominado Convenção, declaram os girondinos (ou moderados) como foras-da-lei, dando início ao período conhecido como Terror da Revolução Francesa.

Essa fase também ficou conhecida como Revolução Popular, Fase Radical ou simplesmente Terror, foi a fase da Revolução Francesa mais violenta pela expressão da misérias das camadas mais pobres da população, durando de 1792 a 1794. Foram convocadas novas eleições para a Assembleia em 1792, tendo como vitoriosos os deputados da esquerda.

Mesmo com a Constituição aprovada, as revoltas continuaram agitando a França, onde se deram assim diversos embates, como o levante dos camponeses, a guerra à Áustria e à Prússia – temendo a volta dos nobres que lá estavam exilados.

Durante esse período, a República foi implantada e adotou-se o ano zero francês, como um marco histórico da França com um embate feroz entre as classes sociais decadentes e ascendentes. Os jacobinos assumiram o poder, retirando, num primeiro momento, o poder real, mas após diversas questões levando o rei Luís 16 a perder a cabeça em 1793. Vários suspeitos de traição à Revolução foram mortos na guilhotina, como Danton, acusado por Robespierre.