14 de maio de 1948: é fundado o Estado de Israel

Há exatos 70 anos era o fundado o Estado de Israel, um estado judeu erguido em cima de um território em que já estava presente uma outra população. A população árabe da Palestina, que simplesmente não foi levada em consideração. Em 1947, a ONU chegou a recomendar que fossem criados dois estados independentes, um árabe e outro judeu. Os árabes, que estavam na região há milhares de anos, não aceitaram. Assim, em 1948 Israel seria criado contra a vontade da população local, em 14 de maio de 1948.

A fundação de Israel foi acompanhada da expulsão do povo palestino do país. Entre 1947 e 1948 mais de 700 mil refugiados palestinos foram forçados a deixar suas casas, durante a chamada nakba, o êxodo forçado de centenas de milhares de palestinos.

Apesar de ter sido fundado em um território árabe, Israel nasceu como um estado judeu, e os árabes foram tratados desde o começo como cidadãos de segunda classe, sem plenos direitos, ou simplesmente sem conseguir cidadania em seu próprio lugar de nascimento. Apesar da discriminação sectária, racista e institucional, Israel é vendido desde então pela propaganda imperialista como a única “democracia” do Oriente Médio.

Junto com a Arábia Saudita, Israel, um enclave imperialista, é um dos principais apoios dos EUA para manter o controle sobre a região. A título de ajuda para países atrasados, os EUA gastam US$ 10 milhões por dia com Israel para armamento e equipamentos militares. Esse gasto não é feito a troco de nada, mas para manter o controle político de uma região rica em petróleo.

Hoje esse posto avançado do império faz 70 anos, e os EUA escolheram justamente essa data para inaugurar sua embaixada em Jerusalém, reconhecendo a cidade, reivindicada por judeus e árabes como capital, como a capital de Israel. A história do massacre do povo palestino é longa e repleta de massacres e repressão nas últimas décadas. Hoje, mais uma vez, o protesto generalizado está sendo reprimido com muita violência. Por enquanto, já são 52 palestinos mortos, além de milhares de feridos, incluindo mais de 200 crianças.