05 de junho de 1967: tem início a Guerra dos Seis Dias entre Israel e coalizão da Liga Árabe

No dia de hoje na História vamos relembrar a Guerra dos Seis Dias, ou Terceira Guerra árabe-israelense. O conflito foi travado entre os dias 5 e 10 de junho de 1967, dividido com as forças armadas do Estado de Israel de um lado e a soma das forças do Egito, Síria, Jordânia e Iraque de outro. Além desses países centrais no conflito do Oriente Médio, se somaram em apoio à chamada ˝Coalizão˝: Kuwait, Líbia, Arábia Saudita (antes de ser um capacho do imperialismo norte-americano), Argélia e Sudão.

O primeiro detalhe sobre esta guerra se encontra no fato de ter sido o conflito mais rápido entre os árabes e israelenses, acarretando a expansão do território de Israel que anexou a Península do SInai, a Cisjordânia, Gaza, Jerusalém oriental e as colinas de Golã (que desencadeou a Guerra do Yom Kippur em 1973).

Em segundo lugar, vamos relembrar brevemente os porquês do conflito se desencadear com essa proporção. Árabes e israelenses estão em conflito desde a Independência do Estado de Israel, em 1948 – que para os partido revolucionários é assinalado a criação e um Estado de Israel, terrorista e servo do imperialismo norte-americano para controle da região.

Civis egípcios rendidos por soldados israelenses

Nas décadas de 1950 e 1960, houve a ascensão do nacionalismo árabe, liderado pelo presidente do Egito (posteriormente presidente da República Árabe Unida – RAU), Gamal Abdel Nasser, apoiado por Hafez al-Assad, da Síria, pelo rei Hussein (Jordânia) e outros chefes de Estado árabes que integraram a Liga Árabe. Dito isso, é claro por que os EUA destruíram todos esses países nacionalistas nos dias atuais, com guerras intervencionistas para roubar o petróleo e controlar a região através de Israel.

Soldado egípcio morto no deserto pelo exército de Israel 

Esse tema deve ser bem absorvido pelos leitores, entendendo que a criação do Estado de Israel, se deu pelos interesses imperialistas (principalmente pelos EUA) para controlar a região através da força, da destruição exatamente desse nacionalismo. O interesse econômico crucial, é claro, está em torno do chamado ˝ouro negro˝, o petróleo, que aumenta o poder econômico mundial dos países imperialistas (Inglaterra, França e EUA, por exemplo). Esse é o motivo por grande parte das guerras imperialistas em todo mundo, onde os EUA, que se diz uma democracia e que invadiu diversos países do Oriente Médio acusando-os de serem países extremistas (antigamente chamados de bárbaros pelos europeus), e que deve ser assinalado sobre a formação de Israel na região.