Portas abertas já!
É necessária uma ampla mobilização para exigir a reabertura dos sindicatos, única forma para enfrentar os ataques da direita golpista contra os trabalhadores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
fechado-1024x768
"Foto - Reprodução" - Reabertura das entidades deve ser imediata e sem perda de tempo |

Há muito, a esquerda nacional está imersa em um emaranhado de confusão e falta de clareza política acerca dos acontecimentos que marcam a luta de classes no País. Desde o golpe de Estado que destituiu o governo eleito pelo voto popular em 2014, setores da esquerda brasileira passaram a adotar uma postura alheia à compreensão do real significado da investida reacionária da direita e do imperialismo, em alguns casos, inclusive, apoiando a ação golpista e persecutória da burguesia contra o conjunto da esquerda, em particular contra o Partido dos Trabalhadores e sua liderança maior, o ex-presidente Lula, condenado nos processos fraudulentos da operação Lava Jato.

A eleição fraudada e manipulada de 2018, que deixou de fora das urnas o principal candidato popular, voltou a expressar ou deu continuidade à confusão da esquerda, quando esta se recusou a denunciar a fraude em curso, participando das eleições como se esta fosse um processo democrático e transparente, quando estávamos diante da maior e mais escandalosa das fraudes.

O resultado não poderia ser mesmo outro, com a “vitória” do candidato da extrema-direita, apoiado por todas as forças mais reacionárias, burguesas e direitistas do país. Bolsonaro, portanto, é produto direto da fraude e da campanha de ataques e calúnias contra a esquerda nacional. Neste sentido, seu mandato é ilegítimo e a campanha pelo “Fora Bolsonaro” assume cada vez mais legitimidade, com o crescimento da adesão e força em todas as regiões.

A luta e a mobilização em torno à campanha pelo Foro Bolsonaro é, desta forma, a principal atividade que deve ser impulsionada neste momento. Junto a esta campanha, é necessário impulsionar também a mobilização pela reabertura dos sindicatos e demais entidades de luta dos trabalhadores. A classe trabalhadora brasileira vem sofrendo, por parte do governo golpista, sucessivos ataques às suas condições de vida, sem que haja qualquer reação e resposta dos sindicatos, pois os mesmo estão com suas portas fechadas.

Neste sentido, é necessário exigir das entidades e seus dirigentes a imediata reabertura dos sindicatos, colocando-os a serviço da mobilização e da luta para impedir o morticínio que a burguesia, a extrema direita e os golpistas estão perpetrando contra o trabalhador e sua família. A epidemia do coronavírus não pode servir de pretexto para que os sindicatos e as demais entidades representativas das massas populares mantenham suas portas cerradas. Não há isolamento social para a população pobre e explorada do país, que está obrigado a trabalhar e se expor aos riscos da contaminação, e neste sentido, é dever imediato dos dirigentes sindicais a ruptura com a paralisia e a inércia que hoje predomina nas entidades.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas