Dia da mulher trabalhadora: mobilizar para derrubar Bolsonaro

blso rosario

Hoje, as mulheres de todo o mundo organizarão atos para lutar pelas reivindicações históricas do movimento de luta das operárias. O Dia Internacional das Trabalhadoras, que foi estabelecido pelo II Congresso Internacional das Mulheres Socialistas em 1910, é, desde a Revolução Russa de 1917, celebrado no dia 8 de março.

No Brasil, dezenas de atos reunirão mulheres de todas as regiões em mais um dia de luta contra a direita. O golpe de Estado dado em 2016 contra a presidenta Dilma Rousseff levou a burguesia a impor uma série de retrocessos ao movimento de mulheres, que devem ser combatidos energicamente para serem revertidos.

No governo Temer, foi aprovada a reforma trabalhista, que engloba várias atrocidades contra as mulheres, como a permissão para que as mulheres grávidas trabalhem em locais insalubres. O próprio desemprego provocado pela política neoliberal dos golpistas foi um duro ataque contra as mulheres: cada vez mais, cresce o número de mulheres que voltam a se dedicar exclusivamente às atividades domésticas.

Como se não bastassem os problemas desencadeados pela política dos banqueiros, que, para aumentar ainda mais o grau de exploração sobre a classe trabalhadora, estão dispostos a submeter as mulheres às mais diversas barbaridades, o aprofundamento do golpe levou ao crescimento da extrema-direita. Cada vez mais, o regime político é dominado por elementos das Forças Armadas. Além disso, a crise interna da burguesia e da política neoliberal obrigou os capitalistas a colocarem no poder o fascista Jair Bolsonaro.

O crescimento da extrema-direita no Brasil é uma ameaça real a todos os direitos e conquistas do movimento de mulheres. Historicamente, os movimentos de tipo fascista sempre buscaram atacar as mulheres, seja por meio da violência, seja por meio de leis moralistas e ultraconservadoras, como as que proíbem a prática do aborto.

Por isso, o dia de luta da mulher trabalhadora deve ser um dia de mobilização pela derrubada do regime político golpista. É preciso organizar as mulheres para, junto ao movimento operário, derrubar Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e todos os golpistas que estão levando adiante a ofensiva fascista contra as mulheres.