Menu da Rede

7 vezes em que a esquerda serviu de papagaio da direita

Vacina, auxílio e emprego

Dia 29, um ato do movimento operário

Os atos do dia 29 acompanham o aumento da mobilização no interior da classe operária, que exige vacina, auxílio e luta contra a privatização

Greves começam a surgir em todo país, ato deve ser ponto de apoio da mobilização – Dino Santos/CUT-SP)/Divulgação

Resta praticamente uma semana para a realização dos atos nacionais do dia 29 de maio. Em todas as capitais, a mobilização dos trabalhadores quebrou o imobilismo das direções da esquerda pequena-burguesa, e atos de rua estão para ocorrer exigindo vacinação para todos, auxílio emergencial e Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

Para a classe trabalhadora estes atos têm um valor de extrema importância. Foi apenas com a mobilização dos trabalhadores no  ato nacional de 1º de maio realizado na Praça da Sé que a paralisia passou pouco a pouco a ser quebrada.

Logo após esta manifestação, greves passaram a ocorrer em várias partes do país. Os portuários estão prestes a cruzarem os braços, exigindo vacinação da categoria. Já os metroviários pararam a cidade de São Paulo, realizando uma das principais greves do ano, contra os ataques aos direitos trabalhistas e contra a política de fome imposta pelos golpistas, apesar da vacilação do sindicato e do abandono da greve.

Além destas categorias, professores, petroleiros e muitas outras já anunciaram ou vem realizando greves nas principais cidades do país. O momento mostra a radicalização da classe operária frente à crise econômica e ao genocídio promovido pela burguesia brasileira em plena pandemia.

Os trabalhadores saem às ruas com uma pauta comum, reivindicando um aumento salarial real, contra os reajustes propostos pelos patrões, que sequer correspondem à inflação. Além disso, lutam fundamentalmente em defesa de sua própria sobrevivência na pandemia, a exigência de vacina ocorre em todas as categorias, pois o trabalhador que não parou uma única vez de trabalhar na pandemia é o que mais morreu em todo Brasil.

Junto a estas reivindicações, a classe operária exige um auxílio emergencial digno, que corresponda às necessidades dos trabalhadores. Segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, 1 a cada 4 brasileiros passa fome. O dado é ainda mais preocupante quando nota-se que 88% dos entrevistados percebem que a fome cresce cada vez mais rápido no Brasil.

O problema do auxílio emergencial está diretamente ligado a esta questão. As famílias que recebiam o auxílio extremamente reduzido, dado pelo governo, eram as que mais passavam fome. Agora, com um corte brutal, o que era uma migalha tende a 0, e a população fica totalmente sem possibilidades de sobreviver em meio à crise.

Exigir um verdadeiro auxílio emergencial é questão de vida ou morte para grande parte da população brasileira. E a única maneira de realizar isso é mobilizando os trabalhadores.

Em paralelo a isso, as privatizações atingem os trabalhadores por todos os lugares. Os Correios vêm sendo duramente ameaçados de serem privatizados desde o início do golpe de estado, e agora os golpistas intensificaram a campanha e prometem entregá-lo a toque de caixa, assim como está sendo feito com a Eletrobras.

Para barrar a privatização, um duro ataque à classe operária e a toda a população, é necessário tomar as ruas, ocupar as fábricas e instituições e declarar greve contra os ataques promovidos.

Por isso, o dia 29 é o dia de luta dos trabalhadores, um ato do movimento operário contra todo o regime golpista. Não há como postergar, é necessário tomar as ruas, enfrentar os golpistas, pois esta é a única linguagem que a burguesia entende.

A manifestação ocorrerá em todas as capitais, e a partir dela é necessário impulsionar ainda mais o movimento dos trabalhadores. Greves devem ser organizadas por todo o país, é hora de tomar as ruas!

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.