Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bloggif_5b8b740ca7c3d
|

No dia 2 de setembro de 1945, o líder marxista vietnamita Ho-Chi-Mihn, anunciava no jardim das flores Ba-Dinh, a declaração de independência do Vietnã.

Ex-colônia francesa, o Vietnã foi ocupado pelo Japão durante a Segunda Guerra Mundial. O Vietnã fazia parte da então chamada Indochina (Laos, Camboja e Vietnã).

Liga para  Independência do Vietnã

Os revolucionários do Viet Minh (Liga para a Independência do Vietnã) foi fundada em 19 de maio de 1941 por Ho-Chi-Minh. Eles tinham uma tarefa tripla: se livrar do imperador Bao Dai, que abdicou e, se livrar da dominação francesa e japonesa simultaneamente.

Exército revolucionário

A vitória dos exércitos de Ho-Chi-Minh se deu pelo grande treinamento que receberam. Muitos viveram na França, estudaram táticas de guerra e foram treinados em Moscou.

Em 14 de Agosto de 1945, a Liga para a Independência do Vietnã tomou controle da maioria das vilas rurais e das cidades de norte a sul do Vietnã. O presidente Ho-Chi-Mihn, anunciou a formação da República Democrática Provisória.

As lutas do povo vietnamita não estavam nem perto de terminar, mas um passo decisivo foi tomado no dia dois de setembro de 1945.

Abaixo, um dos documentos históricos mais importantes, elucidadores e fortes da história da humanidade.

Declaração de Independência do Vietnã como anunciada por Ho-Chi-Minh

“Todos os homens são criados iguais. Eles são dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis, entre eles a Vida, a Liberdade e a busca pela Felicidade”.

Essa imortal declaração foi feita na Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, em 1776. Em um sentido mais amplo, quer dizer que todas as pessoas da Terra são iguais ao nascer, que todas as pessoas têm o direito de viver, de serem felizes e livres.

A Declaração da Revolução Francesa feita em 1791 sobre os Direitos do Homem e do Cidadão também afirma: “Todos os homens nascem livres e com direitos iguais, e devem permanecer para sempre livres e sempre terem direitos iguais”. Essas são verdades inegáveis.

Mesmo assim, por mais de oito anos os imperialistas franceses, abusando da bandeira da Liberdade, Igualdade e Fraternidade violaram nossa Terra Mãe e oprimiram nossos companheiros cidadãos.

Eles agiram em contrário aos ideais de humanidade e justiça. No campo da política, eles privaram nosso povo de toda liberdade democrática.

Eles criaram leis inumanas; eles estabeleceram três regimes políticos distintos entre o Norte, o Centro e o Sul do Vietnã com o intuito de fragmentar nossa unidade nacional e de impedir nosso povo de se unir.

Eles construíram mais prisões do que escolas.

Eles massacraram impiedosamente nossos patriotas – eles afogaram nossas insurreições em rios de sangue.

Eles agrilhoaram a opinião pública; eles praticaram o obscurantismo contra nosso povo.

Para enfraquecer nossa raça eles nos forçaram a consumir o ópio e o álcool. No campo econômico, eles nos roubaram tudo o que foi possível, empobreceram nosso povo e devastaram nossa terra.

Eles roubaram nossas plantações de arroz, nossas minas, nossas florestas e nossas matérias-primas.

Eles monopolizaram a emissão de cédulas e a exportação.

Eles inventaram inúmeros impostos injustificáveis e reduziram nosso povo, principalmente o campesinato, a um estado de extrema pobreza.

Eles reprimiram a prosperidade da nossa burguesia nacional; eles exploraram sem pena nossos trabalhadores.

No outono de 1940, quando os fascistas japoneses violaram o território da Indochina para estabelecer novas bases para combater os Aliados, os imperialistas franceses se ajoelharam e entregaram nosso país a eles. Portanto, a partir daquele dia, nosso povo foi duplamente sujeito ao jugo dos franceses e dos japoneses. Nosso sofrimento e nossa miséria aumentaram. O resultado foi que do final do ano passado até o início deste ano, da província de Quang Tri até o Norte do Vietnã, mais de dois milhões dos nossos companheiros cidadãos morreram de fome.

No dia 9 de março, as tropas francesas foram desarmadas pelas japonesas. Os colonialistas franceses fugiram ou se renderam, mostrando que eles não apenas eram incapazes de nos “proteger”, mas que também que, num espaço de cinco anos, eles venderam duas vezes nosso país aos japoneses. Em algumas ocasiões anteriores a 9 de março, a Liga Vietminh tentou convencer os franceses a se aliarem a ela para enfrentar os japoneses. Ao invés de aceitar a proposta, os colonialistas franceses intensificaram as atividades terroristas contra os membros do Vietminh, que antes de fugir massacraram inúmeros de nossos prisioneiros políticos detidos em Yen Bai e Cao Bang.

Não obstante tudo isso, nosso companheiros cidadãos sempre manifestaram uma atitude tolerante e humana em relação aos franceses.

Mesmo depois do putsch japonês de março de 1945, a Liga Vietminh ajudou vários franceses a cruzar a fronteira, resgatou alguns deles das prisões japonesas e protegeu vidas e propriedades francesas.

A partir do outono de 1940, nosso país de fato deixou de ser uma colônia francesa para se tornar uma possessão japonesa. Depois que os japoneses se renderam aos Aliados, todo o nosso povo unido se levantou para recuperar nossa soberania nacional e para fundar a República Democrática do Vietnã.

A verdade é que lutamos pela independência dos japoneses e não dos franceses. Os franceses fugiram, os japoneses capitularam, o imperador Bao Dai abdicou.

Nosso povo rompeu os grilhões que por quase um século o aprisionou e conquistamos a independência de nossa Terra Mãe.

Nosso povo ao mesmo tempo derrubou o regime monárquico que reinou supremo por doze séculos. Em seu lugar foi estabelecida a presente República Democrática.

Por essas razões, nós, membros do Governo Provisório, representando todo o povo vietnamita, declaramos que a partir de agora rompemos todas as relações de caráter colonial com a França; nós revogamos todos os compromissos internacionais que a França estabeleceu até hoje em nome do Vietnã e abolimos todos os direitos especiais que os franceses adquiriram ilegalmente em nossa Terra Mãe.

Todo o povo vietnamita, animado por um objetivo comum, está determinado a lutar até o fim contra qualquer tentativa dos colonialistas franceses de reconquistar nosso país.

Nós estamos convencidos de que as nações Aliadas, que em Teerã e São Francisco reconheceram os princípios de autodeterminação e igualdade, não irão se recusar a reconhecer a independência do Vietnã.

Um povo que se opôs corajosamente contra o domínio francês por mais de oito anos, um povo que lutou lado a lado com os Aliados contra os fascistas durante estes últimos anos, esse povo deve ser livre e independente.

Por essas razões, nós, do Governo Provisório da República Democrática do Vietnã, declaramos solenemente ao mundo que o Vietnã tem o direito de ser um país livre e independente e que de fato já o é.

Todo o povo vietnamita está determinado a mobilizar toda sua força física e mental, a sacrificar suas vidas e propriedades de forma preservar sua independência e liberdade.

De 1946 a 1954 a Liga para a Independência do Vietnã trava batalhas sangrentas com os exércitos franceses, que recebiam apoio dos Estados Unidos. Foi em 1954 que os exércitos comandados por Ho-Chi-Mihn efetivamente expulsaram os franceses do território da Indochina.
O território do Vietnã fica dividido entre Vietnã do Sul (capitalista e apoiado pelo imperialismo) e o Vietnã do Norte (sob controle da Liga para a Independência do Vietnã). A influência dos revolucionários era tão forte, que as tropas de Ho-Chi-Minh, conseguem fazer um levante no Vietnã do Sul. Os Estados Unidos então interferem e começam a Guerra do Vietnã, uma das mais sangrentas do século XX e que durou de 1964 a 1975.
A vida de Ho-Chi-Minh se mistura totalmente com a luta pela independência e pela autodeterminação dos Vietnamitas. Abaixo, um link para a sua biografia.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ho_Chi_Minh

 

Abaixo, um vídeo sobre a Independência do Vietnã

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas