Dia 10: com a CUT, por uma greve geral contra o golpe

cut

Para o próximo dia 10, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), junto com milhares de sindicatos e outras entidades de luta dos explorados de todo o País, está convocando um dia nacional de lutas com mobilizações e paralisações contra o governo golpista de Temer e as suas “reformas”, que atacam duramente as condições de vida dos trabalhadores e estão levando o País ao maior retrocesso de todos os tempos.

Na Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o Golpe, realizada nos dias 21 e 22 passados, integrada por ativistas de  centenas de Comitês de todas as regiões do Brasil, impulsionada pelo PCO e apoiada pelo PT, os participantes decidiram que o “dia do basta”, como está sendo chamado o 10 de agosto, deve ser usado como ponto de partida para uma grande mobilização nacional em torno de questões centrais da luta contra o golpe: a luta pela liberdade de Lula e a defesa de sua candidatura presidencial contra os golpistas.

Esta decisão tem como base a compreensão de que, na etapa atual, de vigência do regime golpista, nascido com o golpe de estado que derrubou a presidente Dilma Rousseff, nenhuma reivindicação relevante para os trabalhadores pode ser conquistada, sem uma mobilização de conjunto que enfrente e derrote as instituições golpistas. A experiência das lutas contra o congelamento dos gastos públicos e a a famigerada “reforma” trabalhista, entre outras, deixaram claro que, sem derrotar o golpe de estado, é impossível deter a ofensiva contra a economia nacional e o povo brasileiro.

Em tais condições, as paralisações e atos que ocorrerão no dia 10 devem ser o “esquenta” para o grande ato nacional do próximo dia 15, em Brasília, quando será encaminhado o registro, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE),  da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República. Nessa data, dezenas de milhares de trabalhadores de Norte ao Sul do país, irão em caravanas para a Capital Federal, exigir o registro da candidatura de Lula, a única que expressa os interesses da esmagadora maioria da população brasileira contra os golpistas.

Para apontar no sentido de uma perspectiva de luta e não ser apenas um dia de protesto de sindicalistas, de caráter demonstrativo, o dia 10 de agosto deve servir também para dar um impulso para a construção da greve geral, arma necessária para derrotar o golpe e todos os planos macabros dos golpistas, que visam liquidar com nossa economia e destruir as já precárias condições de vida da maioria do povo brasileiro, para atender os interesses dos  abutres imperialistas que estão saqueando nosso País.

Tentando conter esse movimento, há organizações que apoiaram o golpe contra a presidenta Dilma e apoiam a prisão de Lula, como a Força Sindical e a Conlutas. A primeira, chefiada pelo deputado golpista, “Paulinho da Força”, atuou em favor do golpe, aliada a Eduardo Cunha, Aécio Neves, Michel Temer e , agora, tem “seu” partido, o Solidariedade, também presidido por “Paulinho”, envolvido em negociatas em torno do apoio ao presidenciável golpista Geraldo Alckmin. A segunda e minúscula, “central” do PSTU, depois de se juntar à direita com seu “fora todos”, apoia a criminosa operação lava jato e quer que Lula mofe na cadeia. A busca da unidade na luta dos trabalhadores não pode impedir que esses “cavalos-de-Tróia”  sejam denunciados para todos os trabalhadores. 

É hora de superar a política dos golpistas e divisionistas de fora e dentro do movimento operário e de “arregaçar as mangas”. Se juntar à CUT, a principal organização de luta dos trabalhadores do Brasil, a única em condições de convocar a greve geral e se lançar a por realizar uma grande mobilização no dia 10 de agosto pela liberdade de Lula, por Lula presidente!