DF: setor de operações e logística do BB intima funcionários a entregarem seus cargos em 24 horas

bb

A direção golpista do Banco do Brasil deu um prazo de 24 horas para que 36 funcionários, lotados no Cenop (Centro de Apoio aos Negócios e Operações de Logística), passem a trabalhar 6h diárias.

A carga horária dos trabalhadores bancários, regulamentado em lei, de 6h diárias foi um avanço da categoria conquistado através de muita luta, uma categoria que sofre diariamente as consequências de um trabalho desgastante. Segundo levantamento feito pelos órgãos de saúde, é uma das categorias que mais sofre problemas de saúde, tanto psíquica quanto físicas. Mas há casos no banco de trabalhadores que exercem cargos de confiança e a legislação permite, nesses casos, o trabalho com carga horária de 8h por dia. Só que o Banco do Brasil vem sistematicamente descumprindo a lei quando obriga os trabalhadores trabalharem 8h em cargos que não configurava cargo de confiança, o que vem gerando centenas de milhares de ações na justiça, e consequentemente um gigantesco passivo trabalhista para a empresa através de indenizações.

A direita golpista que hoje se encontra a frente da direção do banco vem paulatinamente exercendo uma pressão sistemática nos seus funcionários, que se encontram na condição de trabalhar 8h ilegalmente, para que abandonem os seus cargos comissionados de 8h (consequentemente terão um rebaixamento salarial) através de ameaças.

É o que vem acontecendo com os 36 funcionários lotados no Cenop Brasília que foram ameaçados pela direção do banco a renunciarem aos seus cargos comissionados num prazo de 24 horas.

O caso é mais uma demonstração da ditadura exercida pela direção do banco, que só tem aumentado após o processo de golpe de estado que derrubou uma presidenta eleita democraticamente com mais de 54,5 milhões de votos no reacionário Congresso Nacional.

É necessário dar uma resposta a essa direita que hoje se encontra a frente do BB, que implanta dentro da empresa uma política de terra arrasada contra os trabalhadores e toda a população. Essa resposta só poderá ser dada através de uma mobilização de toda a categoria bancária conjuntamente com os demais trabalhadores na luta pelo fim do regime golpista, para retirar o País do caos, com a liberdade para Lula, anulação do impeachment e cancelamento de todas as medidas de ataques aos trabalhadores.